quarta-feira, 31 de março de 2021

Sobre a maldade: ensaio nº 1 - Razão, Moral e Pós-Verdade

Diário da Astróloga: 31.03.21 | No céu desta semana, Mercúrio e Netuno conjuntos em Peixes, se mostram em conflitos de narrativas, obstruções, confusões, delírios e mentiras. A
 Lua Cheia, especialmente em Escorpião, em tensões com Júpiter e Saturno em Aquário e Urano em Touro, nos fala de aspectos sombrios, violentos e desejos de poder. A sensação para muitos é de que a MALDADE está no meio de nós. É por isso que se faz tão importante compreendê-la.
Na obra "Presente e Futuro", Carl Jung discorre sobre as ameaças e medos que poderiam assombrar o homem da modernidade. Numa de suas passagens ele nos explica: "Não é que o homem de hoje seja mais capaz de cometer maldades do que os antigos ou os primitivo. A diferença reside apenas no fato de hoje ele possuir em suas mãos meios incomparavelmente mais poderosos para afirmar a sua maldade. Embora sua consciência se tenha ampliado e diferenciado, sua qualidade moral ficou para trás, não acompanhando o passo. Esse é o grande problema com que nos defrontamos. Somente a razão não chega mais a ser suficiente!"
O trecho, abre possibilidades de interpretação. Para Jung, ela pode ser cometida em qualquer tempo. Mas a diferença da maldade pós moderna é a sua capacidade de se alastrar e contaminar pessoas e situações, devido aos nossos avanços científicos e tecnológicos, incluindo os meios de comunicação. Assim, a maldade se multiplica e se dissemina com uma rapidez incontrolável. Jung diz ainda que o homem do futuro terá mudado, pois sua percepção sobre o mundo e sobre si mesmo certamente terá se ampliado. Entretanto e inversamente, sua moral terá atrofiado. De modo que quanto mais acesso ao desenvolvimento, menor deverá ser o nosso senso de moralidade diante das situações. Para Jung, este lhe parece um dos maiores problemas do futuro. E tão desafiadora quanto a falta de moral, será a falta de razão.

NOS TEMPOS DA PÓS VERDADE

Jung foi não apenas um dos maiores estudiosos da alma humana de todos os tempos. O psiquiatra suíço foi um visionário, capaz de antever situações que seriam motivo de preocupação para além do seu tempo. E nesses tempos, a PÓS-VERDADE nos toma em cheio. De maneira que os estudos de Jung poderiam dar conta deste conceito com total habilidade. 
De maneira simplificada, a PÓS-VERDADE é um termo que descreve uma situação, no momento em que criamos ou moldamos uma opinião, na qual sua objetividade é menos importante que as emoções e crenças pessoais que a rodeiam. Assim, embora a ciência diga com todas as letras, números e estatísticas sobre uma determinada realidade, como por exemplo "USE MÁSCARA", os sentimentos diante desta afirmação são mais importantes que a mensagem em si. Se uma pessoa portanto, especialmente desprovida de razão e moral, compreende que esta é uma afirmação falsa, porque alguém de seu convívio afetivo lhe disse que esta é uma mentira, ela poderá acreditar nas emoções que circundam esta informação, mais que em seu conteúdo intrínseco. Ignorância e maldade portanto, parecem ter uma forte relação entre si.
Na história, um dos momentos em que sofremos de uma profunda falta de razão e moral foi na Idade Média. Na "Idade Mídia", a que vivemos agora, a falta de razão e moral se fazem as mesmas, apenas num cenário temporal diferente. Uma das perguntas que podemos nos fazer a nós mesmos agora é: "De que maneira eu me coloco no mundo a partir destas descobertas sombrias sobre mim mesmo, sobre a sociedade e sobre o meu tempo, especialmente em se tratando de moral e razão? Ou da falta delas?
Para o escritor e estudioso Umberto Eco, as gárgulas, as figuras horripilantes que decoravam o exterior das igrejas medievais eram projeções sombrias do próprio sentimento da época. O medo do monstro interno foi projetado como monstro externo. Estejamos atentos às gárgulas da pós modernidade! Nelas estarão as nossas facetas imoral,  irracional e muito provavelmente ignorante.
Aline Maccari
Jornalista, Astróloga e Analista Junguiana


Diário da Astróloga: 31.03.21 | Uauuuu! Que semana barra pesada! Lua Cheia, emoções à flor da pele, Mercúrio delirando com Netuno, seguida da Lua em Escorpião e seus ímpetos sombrios de poder. Como compreender o momento que estamos passando? Inclusive para além desses dias, semanas e meses? No vídeo de hoje começo a falar sobre a MALDADE. É o início de uma pesquisa que terá desdobramentos. Como o próprio Dr. Jung nos diz: "Ninguém se torna iluminado por imaginar figuras de luz, mas sim por tornar consciente a escuridão." Então façamos o nosso trabalho! Aline Maccari Jornalista, Astróloga e Analista Junguiana
O link segue na BIO☝ e nos STORIES ☝ 

CRÉDITOS: Imagem de Gárgulas em Catedral, possivelmente de Paris. Foto de autor desconhecido até o momento desta publicação. Se você o identificar...
#astrologia #astróloga #mapaastral #mitologia #psicologia #arquétipo #carljung #destino #autoconhecimento #céudasemana | #covidbrasil #pandemiabrasil  #luacheia #luaemescorpião #fakenews #forçasarmadas #exército #marteemgêmeos #poder #autoritarismo #antidemocrático #ditadura #31demarço #gárgula #idademédia #idademídia #imoral #irracional #ignorância #maldade 

* Agradecemos o compartilhamento dos conteúdos da "A Astróloga", desde que seja preservada a sua originalidade, integridade e sentindo, sem prejuízo à compreensão do mesmo e mantido o crédito à autora: Aline Maccari @aastrologa. A publicação parcial ou total de textos, vídeos ou fotos sem a creditagem correspondente pode acarretar em crime de plágio, sendo passível de punição. Obrigado àqueles que ajudam a divulgar adequadamente este trabalho.




Um comentário :

  1. Como você com maestria salientou é inegável que científica e tecnogicamente demos um passo monstruoso, todavia, nos que diz respeito às questões morais, comportamentais e éticas não podemos dizer o mesmo.

    ResponderExcluir