sexta-feira, 14 de fevereiro de 2014

Pã! Hoje é dia de celebração!

Dois Sátiros do pintor barroco flamengo Peter Paul Rubens
Hoje é um dia especial. A Astróloga, Pã e São Valentim fazem aniversário! Mas, vamos tentar explicar isso tudo de forma cronológica. Pã, o sátiro (nome grego), o fauno ou lupercus (nomes romanos) são o mesmo personagem da mitologia. Representado por uma imagem antagônica ele é metade homem e metade cabra. Algumas versões dizem que Pã era filho de Zeus com a cabra Amaltéia e outras afirmam que ele teria sido filho de Hermes e teria adotado como mãe a casta Penélope. Pã é o deus das florestas, o deus pastor que cuida das ovelhas, mas que no fundo cuidaria dos nossos instintos mais primitivos. Do latim faunus representa o "favorárvel", o "destino" ou mesmo o "profeta", segundo alguns autores. De aspecto bestial ele nos lembra dos terrores da noite e nos deixa em pânico à primeira nota musical de sua flauta.
Pedro Weingärtner - Oferenda ao deus Pã -1894
Foram muitas as pesquisas até encontrar um todo narrativo que fizesse algum sentido sobre o deus ou semi-deus. Porque Pã é um incompreendido, um perseguido. Várias versões imagéticas do diabo tem como inspiração seu aspecto bizarro, como os chifres e patas caprinas. Pela mãe ele foi abandonado. O pai, Hermes, o teria levado para conhecer Bacco que o adorou à primeira vista. O fauno, tão contraditório é também um deus do sexo, da libido, do gozo, do prazer, da alegria, das festas, da aventura e de tudo o mais que possa se traduzir no "indomável", cheio de vitalidade. Ele é um dos mais poderosos instintos que se entrega à vida.
Chanson D'Amour - 1944 - Louise D'AussyPintaud -  Pã é um deus orgásmico
E talvez em nome desse instinto poderoso cometêssemos tantos pecados. É aquele que quer ardentemente viver a vida nas formas mais amplas, desenfreadas e apaixonadas. No entanto, se encarcerado ele se torna vítima de seu pior aspecto. É quando sua vitalidade se vira contra ele mesmo. Muito por isso quem tem síndrome do pânico vive momentos de terror, como se tivesse dentro de si um bicho voraz fora, de controle, sombrio, impiedoso e mortal. Quando deveria viver dias de liberdade, gozo, paz e comunhão com a natureza. Uma das coisas mais curiosas que encontrei sobre ele, depois de tantas buscas, foi que, coincidentemente, os romanos o celebravam justamente hoje e então mais 3 ou 4 dias de festa se seguiam. 
Cartaz do filme espanhol "O labirinto do Fauno"
O festival pastorial se chamava Lupercália ou Festas Lupercais, onde a palavra "lupanar" significaria “bordel” em latim.  O objetivo da festividade era evocar o fauno para espantar os maus espíritos e purificar as cidades e vilas, afastando as sombras, talvez coletivas e pessoais. A festa, assim como quase todos as "big parties" pagãs de que ouvimos falar tem caráter extrovertido e lacivo, onde é proibido proibir e a luxúria reinava. Não é fácil entender a diferença entre o tipo de celebração ou oferenda feito a Bacco ou a ele, Pã. Por volta do ano 270 depois de Cristo, a Santa Igreja teria absorvido parte do conteúdo da festa pagã na história de São Valentim, o santo que promovia casamentos escondidos entre os apaixonados que fugiam para viver uma vida a dois. Certamente o instinto sexual do bicho primitivo foi adocicado, domesticado, elevado e se transformado em algo " mais digno" ou "sublime", o amor. 
Preludio à tarde de um Fauno - um poema sinfônico impressionista de Claude Debussy
É por isso que em muitos países europeus é celebrado hoje o "Dia dos Namorados". Algum tempo depois a fusão das duas festas produziria uma terceira, onde a paixão e a sombra pecaminosa do sexo se fundem na festa da carne: o Carnaval. Assim, a data de hoje fala de amor e sexo, de instintos primitivos e entrega, de medo e coragem, mas sobretudo da vida que precisa ardentemente de alguns dias, uma pausa, para ser vivida em sua plenitude, em todos os seus aspectos, até que nossas forças sejam esgotadas por todos os prazeres do mundo, os divinos e os profanos. Coincidentemente hoje é o aniversário da Astróloga, aquela que conta histórias sobre o destino, "o fatum", "a fada", "o fado" de todos os dias. 
O cartaz de 1864 tem no topo direito a imagem de um "pequeno demônio" entregando um envelope. A imagem celebra o dia de São Valentin
Hoje, gostaria de agradecer e abraçar fortemente a todos que ajudaram nessa empreitada durante esses anos, desde 2011. Com menos medo e mais encantamento pelas belezas da vida vamos seguindo pela grande aventura, resinificando, compreendendo e expandindo nossa compreensão sobre o maior dos mistérios. Que nossos próximos dias sejam de festa meus amigos! 
Aline Maccari

link: http://www.youtube.com/watch?v=EvnRC7tSX50&list=PL8q-_OK4SznUkCFezXzZK6Sn8YsaYy7G3

Gostaria de agradecer ainda a Simone Magaldi, Ajax Salvador e Marcos Callia pelas informações trazidas para a construção deste texto.

*Os posts são publicados diariamente no site da Astróloga e no Facebook. Se você gostou compartilhe sem se esquecer de preservar fotos e vídeos propositalmente relacionados ao conteúdo, além de citar a fonte: A Astróloga.com.br

2 comentários :

  1. Querida Astróloga, li o texto ao som do vídeo postado ao final. Iniciado e entremeado pela flauta de Pã. Ficou ainda mais lindo. Este blog todo é um presente para os leitores. Que bom que o descobri, assim como encontrei na autora uma amiga tão especial. Feliz Aniversário. Com muito carinho.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Martha querida! Que bom vc por aqui, pelas aulas, pelas trocas, pelos telefonemas, pelos livros, entre os bolos e chazinhos e então pelas feijoadas e sambas olímpicos! ahahah!
      Ainda vamos trocar muito nesta vida. Vamos celebrar a vida! com carinho e com certeza... Aline :)

      Excluir