terça-feira, 31 de março de 2015

Mercúrio em Áries

Se o pensamento anda veloz, muito veloz, é melhor contar até três antes de falar. Depois não venha chorar pelo leite derramado. Mercúrio, o planeta do pensamento, fica em Áries, o primeiro signo de fogo de 30 de março a 14 de abril de 2015.
Mercúrio, o planeta mental, do aprendizado, do comércio, da literatura, das notícias, da comunicação, dos estudo e das viagens transitará pelo primeiro signo do zodíaco, Áries, de 30 de março a 14 de abril de 2015.  Em nível pessoal Mercúrio simboliza o que nos distingue dos animais: a capacidade de raciocínio, aprendizado e planejamento. O signo que Mercúrio ocupa no mapa astral natal nos mostra com o quê o sujeito ocupa sua mente e como faz isso, além de apontar suas capacidades psicológicas, habilidades, destrezas, criatividades e capacidades de tomar decisões.

Marte em Touro

Cena do filme Poderosa Afrodite de Woody Allen. Na cena Mira Sorvino contracena com Allen. Sensual, a "poderosa Afrodite" poderia sim ter Marte em Touro.
A força que move o mundo pode mudar de tom, intenção, formato e direção de acordo com a entrada de Marte, o deus da ação, em um novo signo, desta vez em Touro. O deus combativo entra no primeiro signo de terra e por lá fica entre os dias 31 de março de 2015 a 11 de maio de 2015.

segunda-feira, 30 de março de 2015

Lua e Vênus: os princípios do feminino

Femininas, sensuais e deslumbrantes Lua e Vênus, ambas estudadas como planetas pela astrologia, nos inspiram e às vezes nos confundem. Em nível simbólico, não astronômico, a diferença entre as damas do céu começa com a mitologia que explica e dá origem a elas na mente primitiva do homem. A Lua surgia esplendorosamente à noite e para apreciar sua aparição e mudança de forma a tribo inteira se reunia para saudá-la. Disputando espaço com o Sol, a Lua forma o par dos pares no primeiro entendimento sobre o funcionamento da mente humana. Enquanto ele o Rei simboliza a razão, a força e o masculino, a bela é inconsciência, sensibilidade, intuição e loucura. No mapa natal ela é estudada como o arquétipo da mãe.

quinta-feira, 19 de março de 2015

Novo ano astrológico: Sol entra em Áries

Recorte da obra "O Jardim das Delícias Terrenas" de Hieronymus Bosch. O mundo não testa o bem ou o mal, mas o verdadeiro, que pode parecer fazer muito pouco sentido num primeiro momento.
Os próximos dias nos reservam fenômenos que podem ter repercussões importantes em nossas vidas pessoais e bastante marcantes em nível coletivo. Eles têm potencial para promover mudanças bastante evidentes, se mostrando como uma das semanas mais importantes do ano, à partir desta sexta-feira, dia 20 de março. Nesta data seremos coroados com uma Lua Nova em Peixes formando um Eclipse Solar (visível apenas na Europa e no norte da África), dizendo "adeus ano velho" e em seguida celebramos a entrada do Sol no signo de Áries, o Equinócio de Outono (da Primavera no Hemisfério Norte) e a estréia de mais um ano novo astrológico.

quarta-feira, 18 de março de 2015

Vênus em Touro

Uma Vênus em Touro pode ser bastante estável. O problema fica com quem se apaixonar por ela. Eles podem perder a cabeça. - Rita Hayworth interpreta Salomé.
De 17 de março a 11 de abril de 2015 a deusa do amor, dos prazeres e das artes, a Vênus, transita pelo signo de Touro, uma de suas moradas tradicionais. Assim, a bela se sente muito confortável para viver suas características mais naturais. Nesses dias a sensualidade estará em alta, uma vez que a palavra chave para entendê-la é o corpo físico. Touro é o primeiro signo de Terra e por isso ligado à matéria e tudo o que é real, realista, consistente. Com a Vênus transitando por lá podemos nos sentir mais passivos, tranquilos, calmos, amorosos e tentados a tudo o que proporcione prazer, como ficar de preguiça, comer algo delicioso e fazer amor horas a fio.

terça-feira, 10 de março de 2015

Dias de crise

Em cartaz Marte (Channing Tatum) em conjunção com Urano (Mark Ruffalo) 
em Áries formando quadratura com Plutão (Steve Carrel) em Capricórnio:
tensões válidas até sexta-feira!
O dia amanheceu explosivo. Até sexta feira desta semana um encontro celeste promete muitas tensões. É o que acontece quando deus da Guerra se une ao da Rebeldia e juntos desafiam o deus dos Infernos. É a conjunção entre Marte e Urano em Áries, formando quadratura com Plutão em Capricórnio. Não é a primeira vez que o céu se configura assim e nem será a última. O começo da primavera com a esperada entrada do Sol em Áries, que acontecerá entre os dias 20 e 21 deste mês, irá fortalecer esse sentimento que paira inconsciente nas mentes coletiva e individual. E isso não é tão difícil de explicar, simplesmente porque não há quem não esteja de alguma forma sentindo esta forte tendência no ar, ao ler notícias, ao conversar com os familiares ou colegas na rua ou no trabalho. É como se um acidente, uma briga, um grande conflito estivesse por um triz. Um movimento que pode acontecer na Rússia, na França, no seu bairro, no trabalho, em casa, com o marido ou as crianças. Sabendo disso é melhor contarmos até dez e tentarmos conter uma energia avassaladora que nos percorre em nome de soluções mais diplomáticas e menos histéricas.

quinta-feira, 5 de março de 2015

Lua Cheia em Virgem: dia de cura

Guilherme se adaptou a tudo. Ou pelo menos tentou. Viveu a vida como achava que mandava o figurino. Passou em concurso público, como o coletivo reforçava, ajudou a família como a mãe pedia, carregou o mundo nas costas e por fim o pai no caixão. A vida, reflexo de restrições e desafios precisava de qualquer coisa para parecer mais leve e natural. Há poucos meses ele descobriu que tinha pedras na vesícula e hoje, em dia de Lua Cheia, está se preparando para uma cirurgia.

segunda-feira, 2 de março de 2015

Peixes: a maior lição

Obra de Joe Webb inspirada no artista René Magritte
Antônio era o sinônimo da rigidez. Aprendeu a ser assim, abandonado pelo pai ainda criança e transformado em cuidador da própria mãe, dependente química. É como se a vida tivesse lhe dito com todas as letras que sua história não seria fácil. A não ser por Helena, que abriria novas possibilidades para uma forma pessimista de ver a vida. Por uma coincidência maldita ele poderia ter tomado o rumo mais óbvio, abandoná-la, mas o destino ajudou. Helena era pisciana como a mãe de Antônio, o que no começo o fazia pensar que ambas poderiam ser muito parecidas. O tempo foi passando e ela foi provando que era digna de sua confiança. E a cada fraquejada da mãe era ela, a nova companheira, feita das mesmas emoções, quem estava alí para ajudá-lo. Foi quando ele percebeu que o veneno virou o antídoto.