quinta-feira, 29 de outubro de 2015

Orfeu e o amor escorpiano


O mito de amor e morte de Orfeu é uma da histórias que explica as experiências de amor em Escorpião
Tudo por amor! Ou pelo menos entorno dele, o mais nobre dos sentimentos. Uma das mais belas histórias de amor e morte da mitologia grega é a de Orfeu e Eurídice. Ele era um grande poeta. Homem de bem que encantava a tudo e a todos com sua música. Ela, a mais bela de todas. Perseguida por um admirador obcecado ela foge, no caminho tropeça num tronco e é mordida por uma cobra (o Escorpião em forma de serpente).

sexta-feira, 23 de outubro de 2015

Sol em Escorpião


"Onde impera o amor, não há vontade de poder, e onde o poder predomina, há falta de amor. Um é a sombra do outro." Carl Gustav Jung

Para a estréia do Sol no signo de Escorpião neste sombrio ano de 2015 não há frase mais apropriada. Onde há claras disputas de poder não há amor, ainda que sejam aparentemente "em nome" do amor.

quarta-feira, 21 de outubro de 2015

30 anos depois... o futuro é hoje!


A primeira vez que eles se aventuraram eu tinha 8 anos de idade. A projeção de um futuro tecnológico e cheio episódios extraordinários me prendeu à tela de tal forma que eu não queria que a história acabasse nunca mais. A diferença é que na escola, entre os colegas, enquanto todos queriam ser o garoto Marty McFly, eu queria ser o Dr. Brown, afinal era ele quem conhecia a ciência e os mistérios do universo, que fazia o garoto ir e vir no tempo.

segunda-feira, 19 de outubro de 2015

Mensagem de Hermes

O trecho abaixo é extraído da obra Os Grances Iniciados, de Édouard Schuré. Em poucas linhas Hermes, como Mercúrio deus mensageiro ou como Hermes de Trimegisto, o pai do hermetismo, explica a quem quer que tenha a capacidade de ouvir com alma divina sobre a dinâmica celeste e sua função em nossas vidas. Aline Maccari

segunda-feira, 12 de outubro de 2015

Moiras: as deusas do destino


As Moiras são as fiandeiras do destino. Clothó é a que segura o fio do tempo, puxa o fio da vida e atua sobre os nascimentos. Láquesis é a que sorteia o fio de quem irá viver ou morrer, desenrolando o novelo da vida. Átropos é a inflexível, a que corta o fio da vida, a última instância antes da morte.


As moiras, deusas do destino, foram estudadas por Carl Jung, assim como tantos outros mitos que guardam realidades psíquicas profundas. O artigo que segue abaixo é fruto de uma pesquisa realizada durante meu curso de formação como analista junguiana. Nele, traço um paralelo entre as deusas que movimentam nossas vidas, permitem ou impedem alguns acontecimentos específicos, como se de alguma forma elas fizessem parte do nosso próprio inconsciente, pessoal ou coletivo.