sexta-feira, 19 de outubro de 2012

Libra se despede de nós deixando saudades

Plutão à espera da bela. O mês de Escorpião está chegando.
O mês que inicia a primavera veio e se foi com a mesma fugacidade que as flores dos ipês amarelos. Libra, regido pela Vênus, deusa do amor, da arte, da beleza, da delicadeza e do encantamento se despede de nós neste final de semana para dar lugar ao signo de Escorpião, regido por Plutão, o rei das profundezas, dos mundos inferiores, da intensidade, onde moram sentimentos controversos, em especial medos inconscientes. É como se os amores que acabaram de começar, com o início da primavera, sejam eles por pessoas, projetos ou ideias, já entrassem numa nova fase da trajetória, agora mais intensos, profundos, comprometido e para muitos, por isso, assustadores. Como Saturno, o senhor do karma, estreou semana passada sua longa jornada de dois anos e meio por Escorpião, o encontro de Sol com Saturno nos primeiros dias do novo signo, na semana que vêm, pedirá fôlego e paciência para entender com sapiência o que se passa e dar uma direção mais madura ao que foi vivido até agora. Um período mais visceral, comprometido e intenso, e não por isso pior. Árvore que não tem suas raízes muito profundas e agarradas com força ao solo não tem de onde tirar seu alimento e sua firmeza para manter se de pé. Aproveitemos então os últimos dias de Libra, que segunda nos aguarda. E que os próximos dias, até lá, sejam leves e românticos como a deusa ensinou. A Vênus deixará saudades.
Aline Maccari

Libertango de Astor Piazzolla possui várias versões, umas mais venusianas (libra): leves, delicadas, sonhadoras, apaixonadas, artísticas....

...outras mais plutonianas (escorpião): sorrateiras, performáticas, sensuais, agressivas...
*Os posts são publicados diariamente no Blog da Astróloga, no Facebook e no Twitter. Se você gostou compartilhe sem se esquecer de preservar fotos e vídeos propositalmente relacionados ao conteúdo, além de citar a fonte: Aline Maccari.

quinta-feira, 18 de outubro de 2012

Sagitário e o Gangnam Style

Psy, o rapper da Coréia do Sul não poderia ser mais... cafona! 
Em mês de arte e beleza, o mês libriano e em dia de Lua em Sagitário podemos falar da expressão do mau gosto. Isso mesmo! Como adoram muitas culturas, viagens, explicações e referências mil, nem sempre eles, os sagitarianos, sabem compor um todo artístico ou expressional harmônico que faça sentido. O resultado é uma ideia carregada, um figurino esdrúxulo e uma explicação cafona para isso tudo. Quem tem Sol, Lua, Ascendente ou Vênus em Sagitário pode sofrer desse desvio. O pior é que às vezes pode dar certo e arrebentar nas paradas de sucesso. E assim seguem os humores desta quinta e sexta-feira, carregados de excessos, fubanguices e bom humor!
AM
Psy - Gangnam Style - Às vezes os cafonas vencem! Acompanhados é claro de muito bom humor.
*Os posts são publicados diariamente no Blog da Astróloga, no Facebook e no Twitter. Se você gostou compartilhe sem se esquecer de preservar fotos e vídeos propositalmente relacionados ao conteúdo, além de citar a fonte: Aline Maccari.

quarta-feira, 17 de outubro de 2012

segunda-feira, 15 de outubro de 2012

Slumberland: um submundo particular

Os quadrinhos sempre beberam na fonte da mitologia grega.  E a barca que leva Nemo a
Slumberland parece na verdade levá-lo a Hades, o submundo de Plutão.
Um inferno inconsciente particular que habita em cada um de nós.
Os planetas podem nos pregar peças. Um dia como o de hoje poderia estar descrito na literatura astrológica como uma segunda-feira pra lá de venusiana, com Sol e Lua em Libra, a casa de Afrodite. Um dia onde a beleza, a leveza, a diplomacia e a delicadeza  nos imperariam. E dormiríamos à noite como quem curtiu um dia de férias. Mas não é assim que acontece para todos. Quando os planetas atuais se movimentam no céu eles esbarram simbolicamente e formam aspectos com os planetas que estavam no seu céu no dia do seu nascimento. Como duas engrenagens de um relógio maior que pontuam a passagem da vida, com os planetas "natais" fixos e os planetas "de trânsito" em movimento.  E uma geração inteira, próxima dos trinta e poucos anos de idade tem Plutão neste signo. E um dia que se assemelharia à leveza de uma pluma, pode despertar com a dureza e o peso de uma bigorna. Quando os planetas de trânsito, por mais leves e benéficos que sejam, encostam e formam ângulos tensos com os planetas transaturninos (Saturno, Urano, Netuno e Plutão), os dias que se seguem podem ser difíceis, cheios de desafios, invisíveis inlcusive. E um dia que seria característico da manifestação da Afrodite, deusa do amor, pode se transformar num dia de Perséfone, a deusa do submundo, do mundo dos mortos, onde impera o maridão Seu Plutão. O que pode despertar em nós medos inconscientes, um certo desespero, um apego incontrolável à cama, um desapego irresistível do trabalho, vontade de apagar as luzes novamente e ficar sozinho com os próprios problemas, reais ou irreais, até que eles sejam dissolvidos. Por isso dias que num primeiro momento são ótimos para a maioria das pessoas, para outras é uma tormenta. E não seria essa a graça da vida? Colorindo o dia de hoje com a beleza da arte, o Google fez uma homenagem, em sua página de pesquisa, ao cartunista libriano Winsor McCay que hoje faria aniversário. Um dos pais do desenho animado teria inspirado até Walt Disney. Seu personagem favorito era o menino Nemo, que em latim significa "ninguém". O garoto despencava da cama pelas manhãs numa espécie de sonho. Em meio à viagem encontrava com a Lua e Marte, visitava mundos e submundos. O mais comum deles era o reino de Morphy, ou Morpheu, não por acaso o deus grego dos sonhos, para brincar com sua filha, a princesa Camille (ou seria Perséfone?). No mundo onírico Nemo envelhecia repentinamente, era esmagado por cogumelos gigantes ou transformado em macaco. Assim era em Slumberland, o "submundo" inconsciente do menino (ou seria o reino de Plutão?). Assim, se passarmos grande parte do dia na nossa "Slumberland" pessoal, pelo menos avise ao chefe e aos amigos que você estará num "mundinho" paralelo, para que eles não fiquem preocupados com reações tão adversas. Amanhã e depois, com a Lua em Escorpião o sentimento de inadequação ou fuga pode persistir, apesar de tudo parecer muito bem aparentemente. É que nunca sabemos de fato os bichos que moram dentro de nós. E às vezes são eles que falam mais alto.
Aline Maccari

O cartunista Winson McCay faria aniversário hoje. O libriano levava seu alter ego (Nemo) para passear em Slumberland ou o reino dos sonhos, para nós mais parecido com o tenebroso reino de Plutão.
Os posts são publicados diariamente no Blog da Astróloga, no Facebook e no Twitter. Se você gostou compartilhe sem se esquecer de preservar fotos e vídeos propositalmente relacionados ao conteúdo, além de citar a fonte: Aline Maccari.

quinta-feira, 11 de outubro de 2012

Sobre a cabeça de Joaquim um céu e uma coroa

Ministro Joaquim Barbosa é eleito presidente do Supremo Tribunal Federal
O mês de Libra, cujo glifo é a balança do equilíbrio e da harmonia, é também símbolo da equanimidade e da justiça. Não é à toa que vivemos o maior julgamento do país, o mensalão, justamente entre os meses de setembro e outubro, em um ano onde o abuso de poder e a supremacia dos impunes vêm sendo quebrada de forma inédita, como revela Plutão, planeta de transformação, em Capricórnio (signo das estruturas) e Saturno, recém chegado a Escorpião (signo do poder). É como se o mesmo princípio que coloca portugueses, espanhóis, franceses, italianos e gregos atualmente nos trilhos de uma nova realidade política e financeira, funcionasse também por aqui. Plutão está literalmente virando o mundo de cabeça para baixo enquanto passeia pelo signo que ocupa o topo do céu na roda zodiacal. Por aqui, é uma pena que a mídia fale deste momento tão marcante da vida pública brasileira sem uma análise aprofundada, consistente e principalmente compreensível sobre a magnitude do que se tem visto nesses dias. Todos sabemos o quanto a justiça no Brasil é lenta, mas o que estamos acompanhando é sem dúvida um divisor de águas. Um momento que se fortalecerá a partir do instante em que mais brasileiros se derem conta, abraçarem e defenderem essa mudança de paradigma afinal precisamos fazer a nossa parte! Até agora a impunidade era um câncer que corroía todos os esforços da sociedade na construção de um país justo para se morar e se ter orgulho. Por mais que fizéssemos, cada um a sua parte, a sensação era como a de nadar contra uma maré poderosa, com tubarões à vista, espiando cada movimento de retidão moral e esforço. Ser correto e pensar no bem comum no Brasil se tornou atitude passível de ridicularização, inclusive por amigos e até familiares. Há quanto tempo José Dirceu teria empossado o ministro Joaquim Barbosa? E quanto tempo depois Barbosa julgou Dirceu? O jogo tem mudado rapidamente, principalmente em se tratando de vida pública e anos de história no país. O que temos visto é uma mudança nos padrões da justiça brasileira, desenvolvida e encorajada por Saturno, o responsável reestruturador, em todo o processo de renovação dos temas de Libra, entre eles a justiça, que vinha acontecendo desde outubro de 2009. Assim, depois de dois anos e meio de sutil preparação, de Saturno em Libra, temos um novo time preparado para julgar velhas questões. A suprema corte brasileira já não é mais a mesma. Ela inclusive nunca esteve tão próxima da população. Mas ninguém representa melhor esse momento do que o ministro Joaquim Barbosa. Saturno que rege as estruturas simbólicas, também rege as estruturas físicas, e não são as agudas dores de coluna do ministro que vão deixá-lo à margem de sua missão, muito pelo contrário, são elas que vão lembrá-lo constantemente sobre seu papel saturnino, de moralização da intocada esfera da justiça no Brasil. Até chegar a uma das funções mais dignas, responsáveis e poderosas da nação ele sofreu, esforçou-se, trabalhou e alcançou méritos impensados para um menino de origens tão humildes, além de ser negro num país que esconde tão bem seus preconceitos. História comovente, compatível com os maiores sucessos de bilheteria do cinema heroico nacional. Barbosa, com seu jeito direto, dedicado, estudioso e consistente julgou e está colocando no devido lugar quem "bateu a carteira" do Brasil. Por tradição e mérito o STF elegeu Joaquim Barbosa para presidência da corte maior do Brasil em dia de Lua em Leão. E não poderia ser em momento mais apropriado. Sob o céu da justiça libriana e a Lua da realeza, Barbosa "recebe a coroa" e assume um posto que nos leva a um novo momento: o da meritocracia. Ao novo presidente do Supremo meu desejo de cidadã é de que ele continue focado em seu trabalho, transparente, transformador e esforçado e que o faça de forma concentrada porque daqui a dois anos Ricardo Lewandowiski vem aí.
Aline Maccari

Uma vez fui ao show de Gilberto Gil em Brasília. No meio da platéia encontrei alguém que gostava de "Andar com Fé" tanto quanto eu. Era o ministro Joaquim Barbosa.
Os posts são publicados diariamente no Blog da Astróloga, no Facebook e no Twitter. Se você gostou compartilhe sem se esquecer de preservar fotos e vídeos propositalmente relacionados ao conteúdo, além de citar a fonte: Aline Maccari.

quarta-feira, 10 de outubro de 2012

Lua Minguante em Leão: Eu e minha auto expressão

Percebendo a própria beleza: "Quais são minhas melhores facetas e respostas para mim mesma?"
Os meses de setembro e outubro, correspondentes ao signo de Libra, são regidos pela Vênus, deusa da beleza e das artes. Neste período estaremos mais propensos a perceber a harmonia das coisas ao nosso redor e se isso não corresponder à realidade faremos um grande esforço para que tudo se torne mais bonito. E não que a beleza seja sinônima de futilidade. O belo pertence ao reino do equilíbrio externo das coisas que acaba por produzir um equilíbrio também dentro de nós. O belo é prova do saudável. Pessoas e situações doentes, se não são, em algum momento se tornam feias e desagradáveis. A beleza é desejável, uma vez que estimula e está presente em todos os ciclos naturais da vida, se percebermos bem. No nascimento, na juventude, na maturidade e na velhice, ali estarão o belo. Cada um na sua forma e proporção. Hoje é dia de Lua Minguante em Leão. Uma fase lunar correspondente aos humores típicos de uma senhora de idade avançada, que observa os episódios com mais cautela, menos juízo e mais introspecção. Apesar da "Senhora dos Humores" estar em Leão, signo de fogo, regido pelo Sol e, portanto vibrante e luminoso, quando minguante, a Lua toma para si todas as impressões do mundo e as guarda para ela em silêncio. E um dia que deveria ser de expansividade, excessos e exageros em nome da expressão de nossas personalidades, torna-se um dia de reflexões a cerca de nosso comportamento. Um sentimento um tanto antagônico, principalmente num período tão sociável, onde estamos fora de casa celebrando e vivendo as maravilhas da primavera. Isso pode gerar um sentimento de forte inadequação interior nesses dias, principalmente porque moramos num país tão solar e festivo em que a introspecção e a quietude se tornam tão inconvenientes aos olhos dos outros. É quase proibido ficar em silêncio e de forma reservada no país tropical. Mas, é preciso! O dia de hoje é de reflexões a cerca de nós mesmos, nossa expressividade, personalidade e comportamento em nível social e sobre como nós podemos alcançar o belo antes de tudo dentro de nós. A harmonia interna nos chama ao uso mínimo das palavras. Deixemos para os próximos dias a tagarelice e as respostas dos outros para quando a Lua mudar de lugar.
Aline Maccari

E se der vontade de fazer algo muito bonito faça! 
Com os outros ou sozinha... importante é que o trabalho seja "contigo".
*Os posts são publicados diariamente no Blog da Astróloga, no Facebook e no Twitter. Se você gostou compartilhe sem se esquecer de preservar fotos e vídeos propositalmente relacionados ao conteúdo, além de citar a fonte: Aline Maccari.

terça-feira, 9 de outubro de 2012

Josué e a Lua em Leão

Ouço o soar dos tambores! É muito cedo e o dia parece exigir brilhantismo e estratégias inéditas. Quem me acorda é o mais novo aluno de bateria da Escola de Música de Brasília, meu vizinho de cima, um pré-adolescente que acabara de ganhar alguns pelos debaixo do braço. Já faz uma semana que ele foi presenteado com a geringonça que o pai lhe deu e sua empolgação não poderia vir em momento mais inoportuno, às sete horas da manhã. E não há o que reclamar com os pais ou o porteiro. Ele executa apenas dez segundo de rufar, anunciando a entrada triunfal do deus Sol em nossas vidas. E antes que alguém consiga colocar o roupão e bater na porta para reclamar ele já guardou as baquetas ou saiu de casa para ir ao colégio. "Maldito garoto", ecoa o pensamento coletivo de toda uma vizinhança que parece aguardar ainda o hino nacional e a "Cavalgada das Valquírias", zumbindo nos ouvidos durante o dia. Quem assimila a ira e um pingo de bom senso é a mãe que grita sempre após alguns segundos: "Josué, não se atrase para a escola. E venha comer seu ovo que está esfriando". O dia se inicia com a magnânima Lua em Leão! O que merece até um ponto de exclamação, se hoje não fosse também dia de Lua Minguante. Durante o dia a bela ainda forma aspecto tenso com Saturno, deixando a gente com uma incrível vontade de fazer nada. Dias que nasceram para serem magníficos podem ser como um outro qualquer? Afinal ninguém consegue tirar um coelho da cartola de domingo a domingo. A não ser Josué o "baterista da rainha". Assim, a terça-feira nos convida a volta à cama e a uma preguiça sem nome. Estejamos alerta a dosagens espasmódicas de mau humor.
Aline Maccari

Ouvir a "Cavalgada das Valquírias" de Richard Wagner muito cedo pode ser traumático a ponto de jamais querer chamar uma filha por este nome. 

Neste mês de arte e beleza (mês libriano) e em dia de vagarosas apreciações (Lua minguante em Leão) sugiro "Fantasia" de Walt Disney, em sua versão original. Tenham todos um aconchegante "lazy day" em plena terça-feira. 
*Os posts são publicados diariamente no Blog da Astróloga, no Facebook e no Twitter. Se você gostou compartilhe sem se esquecer de preservar fotos e vídeos propositalmente relacionados ao conteúdo, além de citar a fonte: Aline Maccari.

segunda-feira, 8 de outubro de 2012

Saturno em Escorpião: medos, segredos e sexo


De 05/10/12 a setembro de 2015 Saturno faz o convite: abra o porão
Chegou a hora! Não dá mais para esperar ou fugir. Tenho que falar agora dos meus medos. Tenho que contar aqueles segredos tão antigos. Preciso oferecer a alguém a chave extra do quarto, a senha que guarda minha intimidade escondida, antes que ela se esconda tão bem de mim que nem eu a encontre mais. É chegado o momento de falar do ódio, da angústia, do remorso, da dúvida, da inveja, do ciúme, do amor não vivido, do tesão reprimido, da paixão cega, do ato que não se consumou e do tanto que fui consumida. Tenho que ser honesta quanto ao que é feio e amedrontador em mim, quanto ao meu rastejo. Chegou a hora de falar na primeira pessoa, sem artifícios que pulverizam a minha responsabilidade, com a minha própria felicidade e o restante do percurso da vida. De alguma forma, sutil, velada ou bem mais óbvia é assim que Saturno se manifestará em nossos pensamentos e reflexões daqui para frente. E assim será o nível da nossa conversa íntima com ele. Saturno, Senhor do Karma, conhecedor dos tempos, o estruturador, o tutor, deus da sabedoria entra hoje na constelação de EscorpiãoE lá ele ficará até setembro de 2015. Uma estreia muitíssimo importante, por ser um planeta lento e impactante no sentido de reestruturar nossas vidas, de forma duríssima, como um ditador cruel, mas sempre a nos render lucros. Seus últimos anos foram no signo anterior, Libra, referente a relacionamentos, associações, diplomacia, envolvimentos, amores, paixões.

Marte entra em Sagitário: alegria e expansividade

"Tudo vale a pena se a alma não é pequena" Fernando Pessoa
Na França vivia um aristocrata que se viu tolhido de sua liberdade física, ele vivia numa cadeira de rodas. A condição imposta a ele pela vida se devia a um acidente de parapente, acontecido num passado não muito distante. No entanto a liberdade de pensamento poderia ajudá-lo e muito a subverter essa condição e ele sabia disso, só precisava que alguém percebesse essa diferença e não o tratasse com desprezo ou piedade como fazia sua família. Foi então que contratou um "cuidador" com qualidades muito especiais para desenvolver a função, um emigrante senegalês completamente sem limites e que viria a se tornar os braços, pernas e voz que lhe faltavam. A história da amizade entre esses dois personagens, suas aventuras, descobertas, desbravamentos e diversões é o enredo principal do longa metragem francês de maior bilheteria depois do fenômeno Amelie Polin. O filme chama-se Intocáveis e está em cartaz nos cinemas de todo o mundo atualmente. Marte entrou neste final de semana no signo de Sagitário e é exatamente esse o arquétipo que Omar Sy, o ator francês encarna nas telas. Sagitário é o terceiro signo de fogo e regido pelo planeta Júpiter, também conhecido como Zeus. Quando Marte, o planeta da ação positiva e orientada entra nesta constelação, ele se contamina com as qualidades do signo, se permitindo agir da mesma forma que Zeus. Na mitologia, o Deus do Olimpo é o mais poderoso e expansivo de todos eles. Por isso Sagitário adora festas, celebrações, viagens, ama o conhecimento, a filosofia, as religiões. Ele é a própria expansão do entendimento acerca da vida, o além-horizonte, a flecha para o alto e avante. Sagitário é inquieto, otimista, risonho, independente e por isso sem limites, podendo subverter as regras que na maioria das vezes são vistas por ele como símbolo de restrição cega. Na astrologia é o princípio da dilatação, do desenvolvimento, da amplidão, contrário a Saturno, planeta que restringe, limita e doutrina. E quem completa a dupla perfeita é Olivier Nakache que interpreta o cadeirante. Assim a dupla dinâmica segue em aventuras e risadas, mostrando o quanto Saturno precisa de Júpiter, o quanto precisamos trazer um fôlego de irresponsabilidade e irreverência à vida tão repleta de estruturas, regras e leis. E talvez o filme tenha feito tanto sucesso porque na batalha entre rigidez e a fluidez, a graça segue vitoriosa e é isso que queremos ver na vida real. Assim como gostaríamos tanto de ter um amigo ao nosso lado mostrando que podemos sim nos libertar daquilo que nos aprisiona no dia a dia. Até aproximadamente o dia 16 de novembro Marte continuará na constelação de Sagitário, aquele "conselheiro interior" que tanto queríamos por perto. De forma íntima ele nos fará sentir o quanto o mundo é pequeno e possível, enchendo-nos de otimismo e garra para enfrentar as situações do caminho. Marte em Sagitário também nos traz inspiração, desejos maiores, sublimes, dissolução de preconceitos ou restrições, fazendo-nos prolongar e alcançar o que queremos em quase todos os aspectos da vida. Assim os próximos dias podem trazer crescimento no trabalho, ímpeto de realização, num ambiente profissional que pode se mostrar muito mais agradável a partir da "presença" de Júpiter entre nós. Marte em Sagitário pode ser ainda mulherengo, exagerado, debochado, abusivo e irresponsável, como Omar Sy encena tão brilhantemente em Intocáveis. Um certo desleixo com o que supostamente deveria ser tratado com respeito e seriedade, que nos proporciona um sensação deliciosa de libertação. Os próximos dias podem nos levar a sentir que a vida pode ser muito mais leve e divertida do que estamos acostumados a encarar. Às vezes só precisamos oferecer uma chance a nós mesmos de mandar "algumas" coisas para "outro" lugar.
Aline Maccari

No filme francês Intocáveis Omar Sy (Júpiter) enche a vida de Olivier Nakache (Saturno) de alegria, mostrando o quando a vida pode ser mais leve e ampla do que estamos acostumados a ver. O filme é uma comédia divertidíssima e cativante. Um dos melhores filmes do ano!

A trilha do filme é demais!
*Os posts são publicados diariamente no Blog da Astróloga, no Facebook e no Twitter. Se você gostou compartilhe sem se esquecer de preservar fotos e vídeos propositalmente relacionados ao conteúdo, além de citar a fonte: Aline Maccari.

sexta-feira, 5 de outubro de 2012

Quando só a saliva salva

Lua em Gêmeos e a lábia mercuriana.
Em tempos de Vênus em Virgem os relacionamentos amorosos podem se tornar enfadonhos, pesados, severamente comprometidos e por isso confusos. Pois quando a responsabilidade excessiva entra pela porta frente, a leveza sai pela porta de trás de fininho. E a romântica imagem dos dois sobrevoando a Capadócia num balão colorido é trágica e repentinamente substituída pela queda de uma bigorna em alto mar. Aliás com a oposição atual de Netuno à deusa dos relacionamentos, as confusões a dois poderão ser tão grandes quanto a intensidade do amor dividido. Quinta e sexta são dias de Lua em Gêmeos, a Lua trapaceira, que engana, escorrega e trai. O que complica ainda mais a situação do casal que virou mera dupla. Mas o veneno em muitos momentos, dependendo da dose, pode se transformar em antídoto. Gustavo na história de ontem, que gostava de Sofia e Juliana ao mesmo tempo e na mesma intensidade segundo ele, foi desmascarado pelas duas donzelas simultaneamente. E por mais que numa relação do tipo "Y", onde um leva duas e ninguém é vítima, bem... não é por isso que não há sofrimento. Como sair dessa encruzilhada? Gêmeos é regido pelo planeta Mercúrio, Hermes na mitologia grega. Hermes era conhecido como o deus dos viajantes, ladrões, músicos. Em sua missão mais nobre era intérprete dos pronunciamentos divinos, traduzindo aos mortais os dizeres olímpicos. Entre seus feitos mais rasteiros está o roubo de objetos sagrados. E assim Hermes foi seguindo entre altos e baixos, entre o céu e o inferno, driblando humanos e imortais com uma habilidade que ninguém mais tinha: uma lábia daquelas. Entre as qualidades que as mulheres desejam que seus homens possuam, uma delas que ocupa o topo da lista: a sinceridade. E se os homens acreditarem nisso será um crime. As mulheres aprenderam isso muito cedo, na infância, junto com as horas e horas de lobotomia televisiva que sofreram assistindo vídeos das princesas mais sem sal de todos os tempos, como Branca de Neve e a Bela Adormecida. E elas repetem o cliché sem reflexão alguma: "Meu sonho é viver o amor ao lado de um homem sincero". Doce ilusão! No fundo todas as mulheres querem ser iludidas! Querem ouvir todos os dias que são as mais belas, como a bruxa dialogando com o espelho. Elas querem se sentir como se fossem as únicas, como se ele só tivesse olhos para ela. Querem receber flores, bilhetes, elogios, massagem, sobremesa e presentes. E quando descobrem a verdade perdem o chão... e quebram o espelho! Acho que as mulheres não querem um homem sincero, querem um que saiba mentir bem! Assim que foi desmascarado, Gustavo usou a maior de suas habilidades "mercurianas", o bom humor e o poder de convencimento, até dar nó em pingo d'água. E não foi preciso muito. Uma horinha com Sofia, outra horinha com Juliana, muito sorrisos e assim foi. Ele disse o mesmo às duas, negou a traição até a morte, jurou amor eterno, ofereceu flores e beijocas. E em menos de uma semana e muitas maratonas sexuais lá estava ele feliz em sua completude, inabalável, como se nada tivesse acontecido. As moças, sãs de fato do que acontecia aprenderam e encarnaram as qualidades do seu homem, contando mentiras não para ele, mas para si mesmas, de que tudo continuaria firme e seguro como antes. Em dia de Lua em Gêmeos "ladrão que rouba de ladrão tem cem anos de perdão"
Aline Maccari

Quando ouvi essa música pela primeira vez achei a letra sensacional. Não parava de rir. 
E talvez faça tanto sucesso por ser tão mercuriana.
*Os posts são publicados diariamente no Blog da Astróloga, no Facebook e no Twitter. Se você gostou compartilhe sem se esquecer de preservar fotos e vídeos propositalmente relacionados ao conteúdo, além de citar a fonte: Aline Maccari.

quinta-feira, 4 de outubro de 2012

Tramoias, enganos e autoenganos

Lua em Gêmeos: estejamos alertas aos enganos no mês das parcerias
Gustavo já namorava Sofia há sete anos. Era um relacionamento bastante sólido. Ele sabia o que queria, já tinha traçado todas as metas da vida e a companheira parecia ser a ideal para que sua história pessoal reinasse perfeita aos próprios olhos e aos de sua família. Ela tinha uma vida financeira pra lá de estável, farta, mas arrancar dela uma risada era um desafio cansativo e desestimulante. Os amigos fingiam se contentar com aquele sorriso triste. Sofia era branca e fria como um azulejo.  Mas tinha forte potencial para ser boa esposa e boa mãe, defendia o noivo. A vida do casal seguia como um rio manso, desses azuis e espelhados, refletindo uma felicidade aos olhos dos outros quase admirável. Ambos acreditavam que suas qualidades seriam suficientes para a manutenção de uma relação duradoura. E que seguiriam juntos, na saúde e na riqueza até a velhice. Até que um vento forte turvou as águas daquele rio e deformou ambos, mas só ele viu a cena. Se viu torto, fora de forma, instigantemente desfigurado. O nome daquele vendaval de primavera era Juliana, a estagiária. Ela sim, cheia de formas definidas, gargalhadas fartas e uma fé inabalável e juvenil na vida movimentou o gajo. E uma vontade imensa de desbravar as pedras e contornos do rio até a nascente tomou conta de Gustavo. E quem parecia firme e determinado em sua opinião se viu dissolver em águas que um dia foram cristalinas. Entregar-se a Juliana foi algo impensado, aventureiro, irresponsável e revitalizante. E até ele que não sorria fazia tempo voltou a rir da vida ao lado dela. O novo casal era de "fechar o comércio". E se os amigos dele antes desejavam sua felicidade, agora não mais. Todos queriam a morena Juliana para si. Gustavo que voltasse às vias com "o azulejo". Tudo parecia bem se não fosse um detalhe consensual e  outro cultural. Ele não findou uma relação para começar outra. Gustavo manteve ambas, por mais tantos anos. Ele dizia que uma completava a outra e que não conseguiria viver se faltasse uma delas em sua vida. Até que ambas descobriram o que se passava. A configuração no céu de hoje me remeteu a essa história. A Vênus que entrou ontem na constelação de Virgem está em oposição a Netuno. Na mitologia grega ele leva o nome de Poseidon, o rei dos mares, das profundezas, do inconsciente. E quando um planeta está contrário a ele sofre suas piores repreensões. Estar em oposição a Netuno é como enxergar a vida sentado no fundo de um rio, tudo se deforma e lidar com a realidade dos fatos se torna um grande desafio, porque não as definimos com precisão e portanto, não sabemos de que forma agir. É como se precisássemos de alguém para nos dizer o que estamos vendo e para onde vamos. No caso desse "Y" amoroso, todos enxergavam tudo fora de foco ou pelo menos se acomodaram em enxergar os fatos assim, ainda que inconscientemente, já que de alguma forma havia uma estabilidade confortável às partes. Assim, nos próximos dias a Vênus permanecerá em oposição a Netuno, nos fazendo ter percepções equivocadas quanto ao objeto do nosso amor. E com a Lua que ingressou em Gêmeos hoje, a probabilidade de sermos enganados é ainda muito maior. Nesta quinta e sexta-feira o alerta não está apenas ao nosso redor, mas também quanto aos motivos e desejos que nos levam ao autoengano. Afinal, porque mentimos para nós mesmos? O que ganhamos com isso?
Aline Maccari

A cantora norueguesa Frida Amundsen canta que "ainda está apaixonada", "você é quem não consegue perceber". Em dia de Lua em Gêmeos estejamos atentos aos encantos de Hermes, o deus menino, aquele que adora pregar uma peça.

*Os posts são publicados diariamente no Blog da Astróloga, no Facebook e no Twitter. Se você gostou compartilhe sem se esquecer de preservar fotos e vídeos propositalmente relacionados ao conteúdo, além de citar a fonte: Aline Maccari.

quarta-feira, 3 de outubro de 2012

Sensata insensatez

Vênus estreia na constelação de Virgem: fase de testes
Assim no céu como na Terra! E qualquer mudança expressiva entre as estrela se reflete aqui embaixo: nas cidades, sociedades, famílias, colegas de trabalho, entre amantes, pais, filhos e principalmente na nossa psique, sempre de forma muito sutil, a ponto de às vezes vivenciarmos uma mudança e nem percebermos que estamos indo de acordo com outras marés. Hoje a Vênus entra na constelação de Virgem, segundo signo do elemento terra e por lá fica até aproximadamente o dia 28 de outubro. E quando a moça vai para a casa seguinte nossa forma de manter o equilíbrio, de apreciar a vida, de se entregar e amar, toma uma nova cor. Da vibrante paixão do signo de Leão, a constelação anterior, agora a Vênus parte para novas nuances, um pouco mais opacas. Depois de viver a paixão avassaladora, de expôr-se, sair, divertir-se, tornar-se pública, notoriamente exuberante, agora é hora da deusa avaliar o amor que encontrou e a si mesma com olhos bem mais críticos. Aliás, crítica é a palavra chave para se entender o signo de Virgem. Este signo é o "analista" do zodíaco e ninguém escapa da sua criteriosa seleção. Assim, o amor apaixonado só vingará se a Vênus em Virgem disser que aprova essa nova relação. Para isso ela irá medir, avaliar, testar, forçar, reprimir ou apenas observar até conseguir dar um nome, explicar o que anda acontecendo. Para quem acabou de começar um novo relacionamento, profissional ou amoroso, este será um momento de provas. E se o sujeito desejar continuar precisa se esforçar e fazer cursinho preparatório e passar nos exames eliminatórios. Como o próximo signo é o de Libra, de parcerias, associações e casamentos, a Vênus em Virgem não deixará passar a segunda etapa se o sujeito não apresentar qualidades suficientes para viver uma relação plena. Assim ficará à espreita analisando cada passo, cada olhar e principalmente as pequenas atitudes. Será que existe amizade e companheirismo para a manutenção de uma relação amigável a longo prazo? Será que existe responsabilidade e zelo para a construção de um relacionamento sólido? Será que existe amor o suficiente para superar os desafios da vida a dois e sua rotina desgastante e monótona? Será que a "pira da paixão" se manterá acesa por muito tempo? Nessas quartas de final a Vênus em Virgem poderá criticar e pegar pesado, além de deixar um rastro de cafonice por onde passar. A intenção será testar a paciência dos outros. Mas poderá acabar observando mais os defeitos que os detalhes, que tanto dizem sobre o outro, deixando às vezes de perceber os próprios enganos, esquecendo que quando o indicador aponta na direção contrária ou outros quatro dedos apontam para si. A moça pode tornar-se também bem menos romântica e muito mais pragmática. A estreia da Vênus nesta nova posição não critica e aperfeiçoa aos outros apenas, mas a si mesma principalmente, e às vezes de forma irritante e paranoica. Ela se aplicará muito mais no trabalho, nas tarefas da casa e nas responsabilidades consigo mesma, podendo alimentar obsessões por métodos, limpeza ou organização. Quando finalmente as "finais" se aproximarem ela poderá afrouxar o nó da sua gravata e tornar-se mais amável, dedicada e até humilde. E por fim, quando já souber de todos as suas manias, se sentirá na presença de sua alma gêmea, pronta para a premiação, uma união estável! Um teste de habilidade e resistência a que todos nós, mulheres e homens, podemos nos submeter em nome do amor e das relações.
Aline Maccari
"Quem nunca amou não merece ser amado" canta Fernanda Takay.
Um momento de "insensatez" que se justificará num futuro breve.
*Os posts são publicados diariamente no Blog da Astróloga, no Facebook e no Twitter. Se você gostou compartilhe sem se esquecer de preservar fotos e vídeos propositalmente relacionados ao conteúdo, além de citar a fonte: Aline Maccari.

terça-feira, 2 de outubro de 2012

Quando Marte e Vênus brigam no céu

Beyoncé interpreta Etta James em Cadillac Records
Há alguns dias tenho falado sobre um posicionamento bastante conflitante nos céus. Marte e Vênus estão em quadratura já há alguns dias e permanecerão assim até no máximo o dia 8 de outubro, ainda que transitem por outros signos. Uma quadratura entre planetas significa que nos céus eles formam um ângulo de noventa graus, como o lado de um quadrado. Se por ventura tivéssemos outros dois planetas de "mãos dadas" nesse aspecto teríamos então uma quadratura completa e perfeita. O que não é o caso. Mas, a participação de apenas dois planetas nessa angulação já é necessárias para deflagrar acontecimentos e sensações que podem interferir nossas vidas de forma física, emocional, íntima, de maneira introspectiva ou extrovertida, na vida social ou na nossa vida pessoal. Uma quadratura é acima de tudo, nos mapas de nascimento ou de trânsito, ou seja, nos mapas de passado, presente ou futuro, um desafio que precisamos vencer. Algo que nos pressiona e leva a uma resolução, geralmente difícil e que se bem percebido e direcionado, pode nos dar uma grande lição e fazer a vida tomar um passo importante à frente, naquela área específica. Marte é o deus homem, o deus da guerra na mitologia grega, também conhecido como Ares. Na análise do mapa astral ele significa a forma como vamos em frente em nossa luta diária pela sobrevivência, nosso engajamento no trabalho, nos nossos projetos pessoais e profissionais. Significa a forma como nos relacionamos, como somos entre quatro paredes, até como agimos na nossa intimidade sexual. Marte é o planeta que mostra a nossa parte ativa, engajada, realizadora, proativa.  Vênus é a deusa mulher, feminina. Afrodite na Grécia antiga. É a deusa da beleza, do amor, da harmonia. Quando analisada no mapa de nascimento é a forma como exprimimos nosso amor dentro de uma relação amorosa, nossa forma de apreciação estética, nossos gostos, nossa forma de se apaixonar, de se doar e de receber amor e carinho. A Vênus é a forma como recebemos os presentes da vida. Ou seja, ele oferece, ela recebe. No céu dos últimos dias Marte tem ocupado a constelação do signo de Escorpião. E a Vênus anda pelo signo de Leão. Ambos são planetas conhecidos na astrologia como fixos e por isso firmes, teimosos, defensores de alguma ideia. E formando o lado de um quadrado significa que ambos estão sendo desafiados, um pelo outro. Assim, por vezes nos pegamos sem saber o que dar ou receber, sem saber se agimos ou aguardamos. Um aspecto que não se manifesta apenas nas relações entre homem e mulher, mas dentro de nós mesmos, como uma confusão interior, que não depende necessariamente do outro para acontecer. Uma Vênus transitando por Leão, signo do elemento fogo, regido pelo próprio Sol, nos leva à exuberância, à aparição pública, à gentileza, generosidade, grandiosidade de pensamentos e atitudes. Mas quando coibida por Marte podemos nos sentir fracas, indefesas, desencorajadas, covardes, medrosas. Por sua vez, Marte está em Escorpião, signo do elemento água, regido pelo planeta Plutão, representante dos submundos, das profundezas, do escondido. E desafiado por ela Marte tende a deixar de se esconder para se mostrar, deixando que percebamos suas garras, artimanhas, cinismos,  manipulações e tudo o mais de perverso que nós mesmos somos capazes de fazer com os outros e com nós mesmos. Esse aspecto difícil entre o feminino e o masculino só poderá ser entendido individualmente, na vida de cada um de nós, a partir de muito foco e sensibilidade. Todas as analogias possíveis entre o estudo de ambos os arquétipos em Escorpião e Leão em quadratura devem ser analisados. Porque são muitas as manifestações de um posicionamento como este. E se por ventura percebermos esse desequilíbrio de forças e não soubermos o que fazer, o melhor é permanecer em quietude e observação até que possamos usar a força de uma quadratura a favor do crescimento. Tão importante quanto fazer algo é fazê-lo na hora certa.
Aline Maccari

Não consegui imaginar uma Vênus tão leonina ou um Marte mais escorpiano que esses dois no filme Cadillac Records. Beyoncé canta "... prefiro ficar cega a vê-lo com outra..." 

segunda-feira, 1 de outubro de 2012

Adeus à deusa Hebe

Hebe, a deusa da juventude. 
O penúltimo mês do ano, outubro, começa hoje e não serão poucos os desafios que marcam sua estreia. Nos céus dos últimos dias, ângulos pra lá de tensos promovem discórdia, intolerância e morte. A começar pelo planeta da rebeldia, Urano, que forma oposição ao Sol em Libra. No mês regido pelo planeta Vênus, um período que deveria ser de beleza, amor, passividade, compreensão e amor, quando contraposto ao violento Urano, pode nos cercar de discórdias, em nível diplomático, além de reviravoltas em processos jurídicos (acompanhemos o Mensalão), até se  infiltrar em nossas vidas pessoais, trazendo irritação, distração e uma vontade exacerbada de largar tudo e viver uma vida muito mais liberta, longe das responsabilidades que tanto nos sufocam e limitam.