segunda-feira, 28 de fevereiro de 2011

Amor e liberdade

Bom dia senhores! Rápido, súbito e original assim estarão os ânimos da Vênus nesta segunda-feira aparentemente cinza. Ao final do dia o tom será de vermelho paixão e o céu pode promover mudanças nas vidas de homens e mulheres. Quando há um aspecto positivo entre Urano, o planetas das mudanças e Vênus, a deusa do amor, dá vontade de mudar o visual, encontrar os amigos, dizer aquilo que aprisiona o seu coração, de dançar, de se libertar. Inclusive não há nada que o impeça hoje de soltar aquele "EU TE AMO", tão bem guardado. Amor e liberdade são os temas dos próximos 3 dias.

Aline Maccari

(John Ono & Yoko Lennon)

sexta-feira, 25 de fevereiro de 2011

Saturno vai ao samba!

Manter o sigilo nas consultas astrológicas é tão importante quanto nas consultas psicológicas. Os assuntos tratados são sempre delicados, íntimos, às vezes constrangedores e simplesmente não dizem respeito a mais ninguém. A não ser quando viram um estudo de caso e contribuem para o entendimento dos processos da vida e se tornam exemplos para outras pessoas. Assim, se pertinente e autorizado, menciono trechos de casos interessantes mas sempre trocando o nome do cliente no sentido de preservar sua privacidade.

Suzana L.P. me autorizou a dividir sua história. Neste último final de semana ela foi ao samba. Suzana é bem miúda e ruiva. Mas quando vai para o barracão fica "gigante", conta ela. Ninguém imagina que dentro dela habite na verdade o espírito de uma corpulenta e divertida mulata brasileira. As primeiras três performances arrancaram suspiros do público. Na última música ela se empolgou ao som de Gonzaguinha:



Foi exatamente neste momento, num movimento descoordenado, desastroso e deselegante que a pequena foi ao chão com uma lesão no pé esquerdo. Paralisada ela saiu com vontade de nunca mais pisar naquele lugar.


Uma semana antes.....

Uma semana antes ela esteve comigo fazendo seu mapa astral. O tema mais importante do mapa de Suzana tem tudo haver com a queda no samba. O mapa mostra o planeta Saturno na casa 5. Saturno é uma muralha, imensa e às vezes intransponível. Onde quer que ele se encontre no mapa representa uma dura lição que o sujeito deve aprender. Ele raciona, restringe, angustia, aprisiona e empobrece. Os temas da casa 5 são referentes à entrada do sujeito na adolescência, na vida amorosa, no namoro, no flerte, fala de diversão, entrega, amigos e gozo com a vida. E assim Suzana encontrou com Saturno no samba. Não é que ela esteja proibida de se divertir. Mas seu chamado é muito maior e mais sério. Um chamado para uma vida adulta, de construção e responsabilidade. Impossibilitada pelo pé machucado ela é forçada a ficar em casa pensando sobre todas as coisas difíceis da vida. Todas aquelas que a fazem fugir para o samba vez por outra. Para alguns o gozo na vida só virá depois de muito trabalho e de muitos anos. Num primeiro momento, sob o olhar da nossa cultura de prazer imediato, instantâneo, Suzana pode parecer uma desafortunada. Sob os olhos do deus Saturno, o Senhor do Tempo, é só uma questão de tempo, para que ela esteja muito mais preparada para as adversidades da vida que os demais colegas. Para Suzana, a beleza de ser aprendiz se mostrará no futuro com a maturidade e a sabedoria. E em algum momento da vida todos nós teremos uma experiência de limite.


Obs: todas as fotos são meramente ilustrativas e não correspondem aos reais personagens deste texto.


Aline Maccari

Calma-te, calma-te

Bom dia senhores! Lua em quadratura com Marte sugere dia de fortes emoções, cheio de atitudes carregadas de drama pessoal e possíveis brigas. Calma-te, calma-te. Afinal é sexta-feira! Quem deixar pra resolver o abacaxi na terça-feira ganha tempo e um pirulito da Vênus!
Aline Maccari

segunda-feira, 21 de fevereiro de 2011

The Back Swan – Cisne Negro, O Filme.


Serei a milionésima pessoa a postar algo sobre o filme do momento, “O Cisne Negro”. O filme é um sucesso de bilheteria, a atriz é primorosa, a história preza por uma edição muito bem amarrada e a fotografia clássica é límpida e irretocável como uma pintura renascentista. É uma verdadeira experiência cinematográfica. Mas mais que isso o filme agradou tanto porque levanta um questionamento ancestral e universal sobre viver o lado luz e o lado sombra dentro de cada um de nós. Outros filmes também falaram disso, mas “O Cisne Negro”, mergulha em sua sombra de forma a manter-se vivo. Bem e mal são obra de um questionamento antes de tudo moral, que retoma os tempos em que o mundo era explicado de acordo com a ética judaico-cristã. Nesses últimos dois mil anos o branco ficou cada vez mais branco e preto cada vez mais negro. O filme, corajosamente, conta a história de uma personagem que tem de mergulhar fundo no que há de mais tenebroso, imoral, contestável, sexual, sujo e visceral para encontrar sua purificação.

O sucesso do filme está em mostrar que viver tudo isso é infinitamente menos condenável que o fracasso construído por nós mesmos e a infelicidade iminente. Não é entoando mantras ou forçando pensamentos puros que chegaremos vivos ao lado de lá. Mas integrando de forma verdadeira, consciente e lúcida a sujeira à alma. Só quem consegue andar na escuridão de sua própria sala apagada, cheia de medos e fantasmas é capaz de acender a luz.
No mapa astral quem tem aspectos importantes como Sol, Lua ou Ascentende no signo de Escorpião, regido pelo planeta Plutão vive esse karma com ainda mais intensidade que os demais mortais. Plutão, também chamados de Hades na mitologia grega é aquele que traz consigo um escuro sem fim, em si ou nos outros, e nas relações que desenvolve. Para Hades não adianta orar. Abrace o príncipe dos infernos, descubra seu poder. O pior dos diabos, pode se tornar seu maior mestre. Coragem!
Aline Maccari

domingo, 20 de fevereiro de 2011

A intuição na leitura do mapa astral.

Às vezes me coloco como aprendiz de outros astrólogos. Quero saber como se chega ao melhor da astrologia. Já fui a vários profissionais muito competentes. E cheguei à conclusão de que todos vão chegar a minha essência usando o mapa como ferramenta, no entanto por caminhos diferentes.

Esse caminho que o astrólogo adota é o seu estilo de trabalho e de leitura. E é a partir dele que se tem a noção de quem é esse profissional sentado a sua frente, até onde ele é capaz de enxergar, ir além e transcender no mapa junto com você, como quem pega a sua mão e te conduz num caminho de luz.

Depois de algumas experiências percebi que eles podem se dividir basicamente entre os que são mais técnicos, capazes de perceber a verdade do mapa em aspectos produzidos por posicionamentos planetários e ângulos. E aqueles que usam o mapa como suporte de uma comunicação maior onde são intuídos a usar uma linguagem divida. Hoje conheci o segundo caso. Aliás, um homem fenomenal. O mapa era suporte para uma explicação muito mais elaborada, rebuscada e rica em significados. Foram tantas referências expressas sobre um mesmo tema que ficou impossível não enxergar com clareza e poesia o que o mestre dizia. Em meio à leitura do mapa percebi que ele devia receber algum tipo de orientação. Seria quase impossível na verdade perceber tanto e ir tão além sem ajuda superior. Ao final da leitura, totalmente aberto a ensinar, eu o agradeci imensamente pela generosidade em dividir conhecimento.

(A inspiração de São Mateus de Caravaggio)

Aline Maccari

sábado, 19 de fevereiro de 2011

Astrologia e Mapa Astral


A Astrologia é o estudo dos astros e suas influências sobre os seres humanos. Eles exercem seu poder sobre nós assim como sobre a natureza. No mundo atual, assoberbados por tanta velocidade e fugacidade nem percebemos se o dia que vivemos é belo e ensolarado. Quando o Sol, o astro-rei nasce estamos dormindo. Quando a Lua brota no céu estamos presos em engarrafamentos. Quando chove forte estamos confinados em algum lugar fechado.
Não temos tempo para sentir o tempo. Mas há seis mil anos, quando os homens começaram a se guiar pelos astros, os planetas, as estrelas e a natureza, o céu e a terra eram na verdade tudo o que se tinha para observar e apreciar, porque deles tudo dependia.
Era o nascer do sol que pautava o começo do dia, do trabalho, da ação, da consciência. Era o pôr-do-sol que marcava a hora do descanso, de dormir, da inconsciência. Era com o suor do trabalho no campo, domesticando a natureza que o homem garantiria uma mesa farta, a despensa cheia, a vida regrada e a sobrevivência. As quatro estações marcavam o ritmo da natureza, dividindo o ano em doze meses, épocas apropriadas para o plantio ou para a colheita. Como as plantas e os animais somos também sazonais. Como as estações afetam as plantações, o nascimento e a morte, os planetas afetam as marés e a gravidade, e os doze meses também nos contaminam com suas qualidades.

Somos primaveris, invernais. Alguns são mais expansivos, outros mais retraídos. Uns de casa, outros da rua. Uns trabalham demais outros de menos. Outros amam demais, outros muito mais. Temos qualidades que nos distinguem uns dos outros e que nos aproximam das pessoas que nasceram em datas próximas à nossa. Assim, o mapa natal é a ferramenta do astrólogo. É o desenho do céu no momento em que você nasceu. É um mapa do caminho que leva até você. E assim como os movimentos do Sol, da Lua e de todos os outros planetas afetam a Terra, estes movimentos também nos afetam. E se se faz na Terra como no céu, do céu se fará na Terra. Porque tudo o que acontece em nível macro atinge um nível micro. O que acontece no universo, afeta o cosmos, os movimentos planetares como os luminares (Sol e Lua) afetam a Terra. O que atinge as nações, atinge as cidades.
O que aflige às famílias, aflige a nós. O que acontece conosco reflete no nosso corpo, em nossas células, nossos átomos, nossa energia. E desta forma reflete em nossos humores, nossas personalidades, nossos planos, nossas atitudes.
Carl G. Jung, o mais conhecido discípulo de Freud, pai da psicologia analítica, grande humanista, chamava a astrologia de a mãe antiga da psicologia, a mãe ancestral dos estudos da psique, da alma, do comportamento, da personalidade humana. Jung entendeu e estudou a psicologia de forma arquetípica. A palavra arquétipo significa tipo antigo.
Os tipos antigos são as formas encontradas na mitologia. E nos tempos remotos, antes do controle e predição da ciência e do misticismo aprisionador da religião, o mundo se explicava através dos mitos. Os deuses gregos, por exemplo, eram esses tipos antigos. Marte era o deus da guerra, Vênus a deusa do amor. Eles eram como nós, cheios de defeitos, manias, desgostos e virtudes. Não significavam uma verdade completa e imutável, mas saciavam os questionamentos mais profundos dos homens como histórias que saciam crianças.

Os mitos são por vezes repletos de antagonismos e absurdos. Mas explicam o mundo com as respostas mais primeiras, singulares, inconscientes e poderosas que puderam oferecer naqueles tempos, com a força da intuição. Assim, mitos são respostas intuitivas. E a partir deles se explicou os planetas e a vida, por meio de arquétipos que povoam o nosso inconsciente e que explicam nossas pulsões e desejos. Quando se analisa um mapa astral se está na verdade conversando com os todos esses deuses antigos e tentando escutar o que eles querem dizer. No mapa é possível ouvir quem fala mais alto, o que falam e como falam. Somos mais agressivos e impulsivos como Marte? Ou amáveis, belos e harmoniosos como Vênus? E em quais áreas das nossas vidas temos essas qualidades? Converse com os deuses e eles dirão quem você é. Num processo delicado de analogias entre essas frases se tece uma trama, com toda a atenção, cuidado e respeito a que deuses e humanos merecem. E eis a história de uma vida contada num mapa.

Tecnologias antigas como a do mapa astral foram dissociadas no tempo do seu sentido sagrado e o astrólogo de seu trabalho sacerdotal. De certa forma não acho que todos devam mesmo saber sobre o assunto. É preciso querer. Reis e rainhas tinham seus sábios astrólogos de plantão e hoje, a quem quiser, parte da informação está à disposição. Numa época de revoluções no acesso a informação, época de reflexão e mudanças em níveis mundiais, ambientais e íntimos a astrologia oferece respostas como um verdadeiro mapa da mina. Um mapa de saídas e chegadas, curvas sinuosas, despenhadeiros e lindas paisagens. Um caminho que nos leva até a mina de preciosidades que existe dentro de cada um de nós.

Aline Maccari

quarta-feira, 16 de fevereiro de 2011

O começo!

Eu quis saber, muito! Talvez porque a pergunta latejasse demais, gritasse demais. Ou porque o vislumbre da resposta brilhasse demasiado e me instigasse tanto. A sensação de saciedade a tais perguntas tão profundas produziu um efeito único, o de comunhão com Deus e então a paz. Por muitos anos fui buscadora. Bati em portas diferentes tentando entender uma pequena parte do todo. Agora como achadora de uma parte importante, divido disso com você e aos poucos fará todo o sentido. Esses insights de respostas são encontrados na luz dos astros, nas histórias dos mitos. A Astrologia explica a vida.
Aline Maccari

segunda-feira, 14 de fevereiro de 2011

Sobre Aline Maccari e o blog "A Astróloga"


Aline Maccari é jornalista, pós graduada em psicologia Junguiana e astróloga.
Olá Seja bem vindo!

Sou daquelas aquarianas que devoram o mundo! E nada melhor que fazer isso por meio de histórias. Comecei a escrever ainda criança e a velha máquina de datilografia do meu pai era a minha maior diversão. Sempre fui muito inquieta, atrás de respostas para os mistérios da vida. Sou jornalista, mas minha busca me levou a várias outras áreas do conhecimento que foram incrivelmente importantes para a minha formação como ser humano. Repórter desde 2001, trabalhei em algumas das principais emissoras de TV do país (Globo, Band, TV Brasil), especialmente nas editorias de arte, cultura e comportamento. O jornalismo é uma forma de conhecer pessoas, lugares e realidades diferentes! Mas, esse mesmo "universo" me convidou para ir ainda mais longe!

Em 2003 e 2004, morei na Nova Zelândia, onde comecei meus estudos em Astrologia e Mitologia com a minha "ex-sogra" (ex-sogra é algo que legalmente não existe), meio maori, meio british, uma mulher muito sábia. Esses estudos fizeram tanto sentido pra mim que nunca mais parei. A astrologia é minha bússola no mundo. Esse estudo, de mais de cinco mil anos, é uma tecnologia antiga que atravessa qualquer cultura, em qualquer tempo. É uma maneira de perceber as relações entre o céu (os astros) e terra (os acontecimentos) e ver lógica, harmonia e sabedoria num aparente caos!

Em 2012 fui repórter do programa Nova África, viajando por 10 países do continente africano em busca histórias originais. No Quênia, Uganda, Ruanda, Egito, Guiné Conacry, Marrocos, Argélia, Tunísia, Burundi e Etiópia vi cenas, encontrei pessoas e histórias que farão parte de mim para sempre. Foi indescritível ver in locu como as Narrativas Mitológicas se repetem de forma parecida em qualquer lugar do planeta. Fato exaustivamente estudado pelo professor Joseph Campbell, uma das minhas maiores referências. Viajar e se aventurar por outras culturas é uma forma de conhecer outras realidades muito diferentes da sua, de expandir a consciência, de praticar a inteligência e a tolerância. Mas, mais do que isso, é uma forma de perceber que somos todos um!

Em 2015 concluí minha especialização em Psicologia Analítica (ou ainda arquetípica e profunda, como é conhecida), a psicologia de Carl Gustav Jung pelo IJEP, o Instituto Junguiano de Ensino e Pesquisa de São Paulo. Esse grande mestre sabia como ninguém casar todos esses conhecimentos. Ele adorava a Astrologia e estudou ainda a Alquimia por 35 anos, como uma grande metáfora da vida. A psicologia é uma forma de entender a riqueza interior de cada um de nós, perceber os nossos mitos pessoais e de ajudar o outro!

E depois do jornalismo, da astrologia, da mitologia e da psicologia devo me aventurar ainda pela filosofia ou a antropologia. Para mim, estudar, viajar, ouvir, entender e contar a vida são a maior aventura. E se a ideia é ser "contadora de histórias do céu, da terra e do fundo do mar" é preciso entender os mundos das mais variadas maneiras. O próprio mestre Carl Jung dizia: "Conheça todas as teorias, domine todas as técnicas, mas ao tocar uma alma humana, seja apenas outra alma humana."

O blog "A Astróloga" é um espaço de reflexão sobre assuntos que fazem parte das experiências humanas. Desde 2011, escrevo sobre esse universo que, pelo menos para mim faz todo o sentido. Ligando os pontos de tantas realidades é possível ver o lindo desenho da teia da vida. Espero que conheça o blog e se sinta à vontade para fazer comentários, sugestões, enfim... "astrologar" junto comigo. 

Para marcação de consulta para análise do Mapa Astral, parecerias, palestras ou entrevistas, escreva para e-mail: aastrologa@gmail.com A Astróloga está também no Facebook e no Instagram (@aastrologa). Compartilhe!


Um abraço do tamanho do mundo
Aline Maccari


"A Astróloga" foi entrevistada pelo programa Vibe, na Rádio Cultura FM, 100,9 Brasília, em fevereiro de 2016.
Johnny Luna , Leko Bezerra e eu conversamos sobre jornalismo, cultura e astrologia. 
A Astróloga esteve no Correio Braziliense na edição de domingo, 30 de agosto de 2015. Ao lado da consulente Sabrina Ferroli falamos sobre o potencial da astrologia para o trabalho de autoconhecimento, aliado à psicologia junguiana.
Palestra do Ossobuco no CCBB Brasília: "Entre o céu e a terra": 27 de julho de 2015
Palestra sobre astrologia, comunicação, céu, terra, arquétipos, Jung, A Astróloga.... e os sentidos na vida! 

Publicado na Revista VEJA Brasília de 18 de dezembro de 2013

"Já conhecia Aline do trabalho com o jornalismo e agora com a astrologia, a psicologia analítica e o auto conhecimento. Sinto que ela uniu habilidades incríveis. Acho que ela se tornou uma jornalista melhor porque tem mais repertório sobre as histórias mais antigas do mundo e uma astróloga mensageira e habilidosa porque é uma comunicadora e tanto. Conversar com ela me fez entender tanta coisa sobre mim. Foi um encontro maravilhoso. Aline, seu trabalho é muito bonito e cheio de verdade. Continue assim! Um beijo" - Heleonora Duarte - Empresária.

"Gostei bastante das informações que recebi com a análise do meu mapa astral, ajuda a entender alguns padrões que possuímos e como lidar com eles. A Aline consegue de forma objetiva, mas ao mesmo tempo com muito carinho expor questões íntimas importantes que fazem toda a diferença quando trazidas a superfície, gerando um grande auto conhecimento. Eu adorei."
Daniel Portilho - Administrador de Empresas

"Astróloga, para mim, por um lado é a organização dos fatos do passado que me faz entender o presente, por outro, a leitura dos planetas que me orientam o futuro. Mas para isso a astróloga deve ser muito competente. Por isso escolhi Aline Maccari." 
Hermano Wrobel - Consultor.

" Só passando pra dizer que adoro o jeito que tu escreve a Astróloga, sempre com uma referência de mídia - filme, música, foto, etc. Sinto que fica tão contemporâneo, "pop" no melhor sentido (de compreensão, referenciado no que as pessoas estão vendo, ouvindo, curtindo...). Hoje, por exemplo, com outro clipe. Isso me inspira. Não sei como tu consegue tempo pra pensar e encontrar uma referência apropriada, como sempre é, mas acho muito "redondo", apropriado, fica um post breve mas íntegro e criativo". 
Nando Pereira - Editor do site www.dharmalog.com