quinta-feira, 24 de dezembro de 2015

FELIZ NATAL EM LUA CHEIA!

Há 38 anos não temos uma Lua Cheia em Câncer, no signo da família, em pleno Natal. Sendo uma festa familiar e a deusa das emoções em sua fase mais esplendorosa uma explosão de afetos, que este Natal seja lembrado como uma festa em que pais e filhos, irmãs e irmãos, sobrinhos, primos e avós se unem para celebrar aquela que ainda é uma das melhores experiências da vida, estar bem em família; esta base tão importante que nos acolhe e reabastece nossas energias durante o ano em nossos momentos mais desafiadores.

terça-feira, 22 de dezembro de 2015

2016: anti-heróis, seriados e sombras

Walter White, personagem da série Breaking Bad e Frank Underwood, de House of Cards. Dois personagens que nos levarão a compreender o significado da sombra para a psicologia de Carl Jung com um empurrãozinho de Plutão em Capricórnio, estimulado pela terrível quadratura com Urano em Áries. Arquétipos que já são reconhecidos pelo grande público por que tem povoado nossos dias na vida real. Uma característica dos tempos atuais que irão se repetir em 2016.
O que os personagens Walter White da série Breaking Bad e Frank Underwood, de House of Cards têm em comum conosco, além de terem em comum entre si? Que ambos são famosos por serem anti heróis nós já sabemos. Eles não são vilões, afinal nos identificamos com suas canalhices. A questão é que as séries não fariam tanto sucesso se não ressoassem fortemente dentro de nós, no público, como um espelho social e psicológico do momento que estamos atravessando. Estamos vivendo um tempo anti heroico. Mas o que os astros, além das estrelas hollywoodianas, têm a ver com isso? A astrologia poderia dizer que boa parte da culpa disso tudo é de Plutão.

segunda-feira, 14 de dezembro de 2015

A mitologia de Star Wars

Assista à entrevista completa de George Lucas com o jornalista Bill Moyers sobre a mitologia de Star Wars em inglês ou acompanhe os melhores momentos nesta postagem.

Não é por acaso que Star Wars é um fenômeno cinematográfico há quase quatro décadas. Alguns psicólogos e religiosos insistirão em atribuir ao filme qualidades que fariam dele uma obra repleta de significados sagrados, ocultos, que passariam desapercebidos público até levá-los praticamente à redenção, como se a história fosse uma recontextualização da narrativa da mitologia crista em temos modernos. Em entrevista ao jornalista Bill Moyers, George Lucas não vai tão longe, fala de seu filme com muito mais leveza.

terça-feira, 1 de dezembro de 2015

Uma história sufi para tempos difíceis



"Havia um rei muito poderoso que tinha tudo na vida, mas sentia-se confuso. Resolveu consultar os sábios do reino e disse a eles:
- Não sei porque, me sinto estranho e necessito de paz de espírito. Preciso de algo que me faça alegrar quando estiver triste e que me faça triste quando estiver alegre.
Os sábios resolveram então dar um anel ao rei, desde que o rei seguisse certas condições:
- Debaixo do anel existe uma mensagem, mas o rei só deverá abrir o anel quando ele estiver num momento de extrema dificuldade.