sexta-feira, 25 de outubro de 2013

A infinitude das águas

Sol em Escorpião: morrer. Lua em Câncer: nascer
O mês é de Sol em Escorpião. E o astro rei que deveria guiar nossa razão está imerso na porção inconsciente. Exigir lucidez dos outros ou de si mesmo estando mergulhado em impressões, intuições e sonhos seria loucura. Para deixar o dia ainda mais improdutivo no cenário profissional a Lua no céu transita por Câncer, nos deixando preguiçosos, manhosos, buscadores de abrigo e conforto no seio familiar. Lembranças do passado, nostalgia e acessos de humor descompensados podem afligir aos mais "aguados".
Que a sexta termine em breve porque os assuntos da vida dos adultos não terão graça nenhuma hoje. Vamos sentir falta de nossas mães e de nossos filhos. E se pudermos reservar pelo menos uma parte do dia para esse encontro aí sim poderá ser muito frutífero. Câncer, o primeiro signo de água é marcado pela estreita ligação entre a mãe e o filho. É nele que a vida nasce. Em Escorpião, segundo signo do elemento o processo não é de união entre partes, mas de separação e de fim da vida, dos laços. Um soma e outro divide. Um começa o ciclo emocional e outro finda. Em Câncer o sujeito fica absolutamente preso ao seio familiar, à mãe em especial. Afinal é na mais longa simbiose e dependência dos bichos da Terra que o homem alcança seu desenvolvimento e integridade.
No rodopiar da dança sufi uma mão aponta para o receber a
outra para o doar: é o ciclo natural da vida
Em Escorpião o sujeito, sendo pai, filho, mãe ou amante corta o cordão umbilical da mesma forma como Perséfone, a deusa da primavera, foi separada da super mãe protetora Deméter, para finalmente se encontrar com sua cara metade Hades ou Plutão nos infernos. A temática das águas será sempre a relação com as emoções e em Escorpião o tema principal  "ligações afetivas" x "controle pessoal". Um dia, "quando foram crianças" eles foram controlados, hoje são eles quem estão no poder. O ciclo das águas é o próprio ciclo da vida, se encerrando no terceiro signo do elemento: Peixes. No signo símbolo do cristianismo repousa atualmente Quiron, o mestre e Netuno, o deus do fundo dos mares e da inconsciência. O ciclo completo das relações de amor e afeto tem sido temática constante e intensa na vida daqueles que tem em seus mapas natais aspectos principais nos signos de água. Conseguir compreender o que se passa imerso em tão pouca razão não pode ser considerado missão. Geralmente sob os efeitos de Netuno o melhor a fazer deixar o barco guiá-lo, ainda que pareça sem direção. Nesta fase as percepções podem ser bem confusas, podemos sofrer de ilusão. É como se tivéssemos naufragado em Atlântida por uns tempos, enxergando a vida turva, embriagada. No que pode ser útil? Bem, aparentemente uma experiência como essas desafia a nossa estabilidade, mas nutre a nós todos com uma imensa lição de amor. Nos dias em que somos feitos de água não há como sair dela.
Aline Maccari

A água é símbolo das emoções. Vários cancerianos e piscianos são grandes músicos. Eles sabem muito bem o mundo que habitam. A música é seu aquário favorito. No dia de hoje recomedável é nadar por aqui.

*Os posts são publicados diariamente no site da Astróloga e no Facebook. Se você gostou compartilhe sem se esquecer de preservar fotos e vídeos propositalmente relacionados ao conteúdo, além de citar a fonte: A Astróloga.com.br

Nenhum comentário :

Postar um comentário