terça-feira, 28 de janeiro de 2014

As mitologias de Aquário

Hoje o Sol entra no signo de Aquário. O homem leva no cântaro uma substância mágica. Mas afinal o que o aquariano carrega? É o que ele transporta e entrega à humanidade que o define. Ganímedes,  Utnapishtim, Noé,  Prometeu e Dr. Jones devem carregar "o conteúdo" com a humildade do filho do carpinteiro. 
Saber qual é o veículo e qual a sua mensagem pode salvar uma vida. Aquário carrega o cântaro com a água, mas não é água como a conhecemos. No estudo simbólico da mitologia, da astrologia e mesmo da psicologia a água é sinônimo das emoções. Sonhar com água, dependendo de seu estado, se limpa e cristalina ou agitada e lodosa, pode sugerir uma série de sentimentos turbulentos que tomam o indivíduo naqueles dias. Mas, não! A água que Aquário carrega não é a água dos sentimentos. Nâo são as águas de Câncer, Escorpião ou Peixes. Esse é o primeiro dos equívocos a respeito deste signo e talvez o maior deles. Mas então, de onde vem as águas do cântaro?
Para compreender como a mitologia grega assumiu essa simbologia precisamos voltar no tempo e recorrer aos primeiros que tentaram entender o mundo, os egípcios. Naqueles tempos tudo acontecia entorno do rio Nilo e tudo se dava por causa dele. Em julho, período que corresponde na astrologia ao signo de Leão o rio começava a encher exatamente na Lua Cheia no signo de Aquário. A data era venerada como o nascimento do rio e por isso o começo de tudo. Assim, para os egípcios antigos, Aquário é o signo que fertiliza todas as coisas e representa o poder espiritual da vida. 
O rei Gilgamesh e o amigo Enkidu são representados em grandes batalhas pela Suméria. O mito da salvação do amigo ferido também se relaciona ao arquétipo de Aquário.
Entre os babilônicos o signo de Aquário teve consagrada importância à partir do épico de Gilgamesh, o reio dos reis sumérios e no Livro de Ezequiel em hebraico, composto na Babilônia durante o cativeiro. Na história narrada à partir dos 4 signos fixos (Touro, Leão, Escorpião e Aquário, os signos tenazes) Aquário é o único representado por uma figura humana. Em meio a um combate o rei perdeu seu fiel escudeiro, Enkidu. E em busca de cura, Gilgamesh foi atrás da erva da imortalidade. Na saga ele teria enfrentado touros, leões e atravessado portões vigiados por três homens-escorpião. Em nível simbólico a informação que a lenda do rei sumério nos trás é que devemos dominar primeiro os três signos da cruz fixa até chegar a Aquário, conhecido na lenda pelo nome de Utnapishtim. Este havia sido um dia mortal, até ouvir as vozes dos deuses avisando da destruição do mundo. Utnapishtim teria construído um barco e salvo uma espécie de cada animal antes da inundação do mundo. Qualquer semelhança com a história de Noé e sua arca ou o episódio do Dilúvio da Gênesis, não seriam mera coincidência. Como mérito por ter ouvido os planos divinos Utnapishtim recebeu a vida eterna e levou consigo a erva da imortalidade. No final da saga de Gilgamesh ele teria conquistado a erva da imortalidade e então a teria perdido novamente, como se a humanidade não estivesse preparada ainda para recebê-la.
Na Grécia antiga Aquário assume o arquétipo de Ganímedes. Encantado pela beleza do jovem troiano Júpiter (Zeus) o teria levado à força para o Olimpo para ser um serviçal ou o garçom das festinhas de arromba que ele adorava oferecer no "palácio". Nas festas não faltava ambrosia e o papel do rapaz era justamente derramar sobre os deuses essa "bebida da imortalidade". Assim, a Lua Cheia em Aquário, Utnapishtim e Ganímedes tem a mesma função: alimentar o mundo com a substância divina que alimenta a vida. Uma substância que só tinha acesso quem ouvia aos deuses e os serviam, como fiéis mensageiros, depois traduzida com inteligência, sensibilidade, razão, conhecimento, humildade, inspiração e nos tempos atuais como tecnologia, ciência que ainda curam e torna a vida cada vez mais possível. Afinal, sem tudo isso o mundo ainda estaria adormecido.
Ganímedes oferece néctar e ambrosia aos deuses do Olimpo. Todo o "garçom" sabe dos detalhes mais indiscretos da festa. Mas como bom mensageiro eles os guarda consigo. Aquário transita entre o céu e a terra. Suas  mensagens geralmente levam verdade, inspiração e intuição divina sobre o futuro.

Aquário se identifica ainda com a mitologia de Saturno que foi considerado seu regente antigo até a descoberta de Urano (1781) seu regente atual. E também as histórias de Prometeu, Juno, Pandora e tantos outros arquétipos que possuem qualidades aquarianas em comum. Quem não tem um amigo assim, bom de papo, pronto para ajudar, criativo, meio profeta, reformador social, irreverente e cheio de ideias malucas? Todo o aquariano é um salvador da humanidade, da família e dos amigos. E como o cântaro está voltado para baixo eles vão sempre receber dos deuses e repassar a todos nós bênçãos e informações que só eles têm acesso. Os aquarianos do último decanato devem estar passando por uma fase não muito fácil. É que Saturno em Escorpião forma quadratura com o signo. E quando Saturno chega não há o que fazer a não ser ouvir o seu sermão. A mensagem ao mensageiro é que ele continue a carregar a água da vida, de preferência em taça de carpinteiro, com humildade.
Aline Maccari


Link: https://www.youtube.com/watch?v=PjOn8nwFDMY
Em Indiana Jones e o Santo Graal a água da vida que ressuscita o Dr. Jones (pai) é carregada pelo aquariano Dr. Jones (filho). Infelizmente não encontrei cena em português ou inglês. Teremos de nos contentar com uma dublagem em francês totalmente fora de moda. Enfim... humildade! ah!
*Os posts são publicados diariamente no site da Astróloga e no Facebook. Se você gostou compartilhe sem se esquecer de preservar fotos e vídeos propositalmente relacionados ao conteúdo, além de citar a fonte: A Astróloga.com.br

Nenhum comentário :

Postar um comentário