terça-feira, 21 de janeiro de 2014

Beleza e transgressão

Dia de Sol em Aquário e Lua em Libra: uma combinação perfeita entre a rebeldia, a inteligência e a beleza. Há exatamente 87 anos o público conheceu pela primeira vez um filme falado e cantado nos cinemas. O resultado foi o maravilhamento geral. "O Cantor de Jazz" é uma obra prima aquariana, cuja história desafiou o tempo, a tecnologia, o amor e os preconceitos. Inesquecível! Como não adorar os aquarianos?
Se imagens de trem em alta velocidade foram responsáveis pelo arrebatamento do público numa das primeiras sessões de cinema de que se tem história, seguidas de filmes e mais filmes mudos, imaginem quando, na escuridão de uma mítica sala escura, com uma pequena multidão reunida, se ouviu pela primeira vez o som da voz humana e da música! Espanto, admiração, choque, êxtase, curiosidade e muita, muita diversão foi o que mais de uma centena de pessoas conseguiu sentir ao mesmo tempo. Há exatos 87 anos, a idade da minha querida avó, uma revolução se deu na sétima arte. O filme "O Cantor de Jazz" entrou para a história como o primeiro filme falado. 

Filho de família judaica o jovem cantor abandonou tudo para cantar a música dos negros, o jazz. Para isso se travestia e enfrentava os palcos de vaudeville.
E se o cinema ainda era visto com alguma desconfiança a data marcou de vez a vitória da arte somada à nova tecnologia. O filme é bem mais cantado que falado, isso é fato. Os diálogos não são fluidos como nos filmes atuais. Mas, depois de "O Cantor de Jazz" os filmes mudos ficariam ainda mais mudos e miúdos. O diretor Alan Crosland promoveu uma revolução sem volta não apenas dentro de uma sala escura, mas nas mentes do mundo inteiro. E a imaginação dos artistas e do público que sempre foi fértil adquiriu suporte técnico para ganhar asas e sair voando sem limites. A história do filme era simples. A película narra a história de Jakie Rabinowitz, representado pelo ator Al Jolson, filho de uma tradicional família judaica. 
Em 1927 a "música dos negros", o jazz, era vista com preconceito.
O filme ajudou a divulgar o gênero do improviso, que talvez por
isso seja um dos ritmos musicais mais aquarianos.
Para o desgosto do pai, Rabinowitz é um adorador da chamada música mundana, o Jazz. Na época o estilo era visto com descriminação. Pelo fato de ser um ritmo de origem negra era rechaçado pelos brancos. Depois de uma briga com os pais Rabinowitz abandona o lar e vai para o vaudeville, um gênero de entretenimento muito popular na época onde subiam aos palcos de velhos teatros alguns atores circenses, mágicos, dançarinas, animais treinados, cantores de rua e pequenos filmetes eram exibidos. Anos se vão e o rapaz judeu, juntamente com a trupe da estrela Mary Dale alcançam o estrelato, uma forma totalmente marginal e nova de se fazer arte. O dilema entre a família e a opção pelas artes é o enredo desta trama até o encontro do filho com o pai enfermo. Al Jolson que faz o papel principal se tornou uma figura tão popular por causa deste filme, porta voz desse novo imaginário, que foi chamado para fazer mais uma infinidade de filmes. Como se cinema sem ele não fosse cinema de verdade. O ator entrou para a história e inspirou outros tanto até hoje como Bing Crosby e até Bob Dylan. "O Cantor de Jazz" pode ser visto hoje até em blue ray. A revolução tecnológica capaz de ampliar os sentidos e referenciais humanos é uma das grandes qualidades trazidas pelos nativos do signo de Aquário. 
Todo o artista é no fundo um grande rebelde.
Muitos aquarianos trabalham descobrindo e inventando. Regido por Urano, o planeta das inovações e do súbito, Aquário tem horizontes intelectuais amplos, é visionário e tem como missão dividir as descobertas com os seus. É ele o mensageiro dos deuses. Para o último signo de ar, não há evolução no planeta sem todos os avanços possíveis que as tecnologias possam promover. Um universo que gira não apenas entorno das técnicas da modernidade, mas também das antigas ou mesmo pré-histórias. As descobertas mais elementares da humanidade, como o fogo, a faca, passando pela refinada leitura dos astros e do desenho das cartas astrais na orientação de navegadores dos mares ou das almas, até as tecnologias audiovisuais, computadores e smart phones passam pelo domínio de Urano ou Aquário. No meio da manhã desta terça-feira a Lua entra em Libra, signo das artes. E como não se encantar com aquele que consegue se rebelar contra o velho, trazendo o maravilhamento do novo na forma do belo. A história do filho que foge de casa para viver seu sonho de artista é também um enredo para lá de aquariano. Quem souber se libertar e apontar o caminho da evolução para os demais tendo a arte como meio de expressão conta com dois dos mais lindos arquétipos, numa aliança entre a beleza e a inteligência. Que hoje seja um dia de maravilhamento por tudo o que nos faz ampliar a consciência. Mais uma dos mitos que explica Aquário, Prometeu, aquele que carrega o fogo e ilumina a humanidade poderá ser visto nos próximos dias em protesto pelas ruas ou nas filas das bilheterias.
Aline Maccari

Link: http://www.youtube.com/watch?v=FRBja_V4BFI
*Os posts são publicados diariamente no site da Astróloga e no Facebook. Se você gostou compartilhe sem se esquecer de preservar fotos e vídeos propositalmente relacionados ao conteúdo, além de citar a fonte: A Astróloga.com.br

Nenhum comentário :

Postar um comentário