terça-feira, 24 de dezembro de 2013

Feliz ano novo!

Olá a todos! Muito bom dia! Estou viajando e estarei de volta no dia 6 de janeiro. Infelizmente o acesso a internet é difícil nesta localidade e não poderei dar continuidade às crônicas diárias pelo menos até a primeria semana de janeiro. Até lá deixo com vocês algumas reflexões sobre o ano novo que se aproxima e desejo uma festa de natalina cheia de aconchego familiar, fartura de carinho e compreensão. A todos uma virada de ano divertida, forte e vigorosa, cheia de vibrações positivas para o ano novo que se aproxima e que promete ser um ano e tanto, especialmente para nós brasileiros e brasilienses. Obrigada a todos pela parceria nessa jornada astrológica, entre o céu e a terra. 
Gratidão
Aline Maccari
"A Astróloga"


"Assim na terra como no céu." O princípio da correspondência que garante que macrocosmo e microcosmo são um só nos orienta sobre como a vida acontece aqui em baixo desde os tempos sem princípio. E os desígnios dos deuses antigos, representados simbolicamente pelos planetas que carregamos até hoje conosco no nosso inconsciente, nos orientam sobre o que pode acontecer e como podemos proceder. Há alguns anos os deuses vêm anunciando tempos de desafios. Desde 2010 vivemos as tensões de um grande quadrado desenhado no céu, uma quadratura entre Urano, planeta das revoluções no signo de Áries e Plutão, planeta de morte e renascimento em Capricórnio.
De lá para cá já assistimos à Primavera Árabe, às reviravoltas financeiras e sociais na Europa e nos Estados Unidos, à guerra na Síria, o julgamento e a punição dos mensaleiros. Quem disse que 2013 foi fácil deve ter passado a última temporada em alguma estação espacial. O ano que se despede foi regido por Saturno, o imperdoável deus das restrições. E com a entrada de Júpiter em Câncer na quadratura a tensão extrapolou fronteiras: os limites da paciência. Em junho ganhamos as ruas e nos revoltamos corajosamente contra tensões muito antigas que já não suportávamos mais. E como os planetas apontavam nas quatro direções desse grande quadrado, nossas cabeças e corações também apontaram para todos os lados. O céu recuou, alguns planetas começaram a andar para traz em aparente movimento retrógrado dando tempo para refletirmos melhor sobre a grandiosidade do que vivemos e de que forma nos posicionaremos novamente diante de um cenário que poderá se repetir. Depois de tantas provações, 2014 promete justas compensações e ao mesmo tempo novos desafios. Seremos premiados com a regência anual de Júpiter, deus da sorte, fé e abundância, também conhecido na mitologia grega como Zeus, o deus do Olimpo. Por outro lado Zeus, o dono da festa, avisa logo que o ano que se aproxima será um exagero em tudo, do jeito que ele gosta. O dia 1º de janeiro poderá ser uma síntese do todo que se apresentará nos próximos 364 dias. De abril a julho viveremos fortemente a grande quadratura envolvendo deuses irados e poderosos. Para Damasco, Lisboa, Auckland, Rio de Janeiro ou Brasília os desafios serão imensos, no entanto os chamados serão diferentes. O dia 21 de abril, no aniversário de 54 anos dessa beldade, filha do céu, a prova será ainda mais difícil. Um período crítico que estará pressionado por um eclipse lunar (15/04) e um eclipse solar (29/04). O que podemos esperar? Urano em Áries, Marte em Libra, Plutão e Lua em Capricórnio e Júpiter em Câncer formarão no céu um quadrado perfeito cortado por uma cruz ao centro. Um eixo tratará de uma mensagem importante que precisa ser ouvida, o outro de uma pendência antiga que precisa ser resolvida. E de eixos nós entendemos. Para a festa da Copa do Mundo também podemos esperar ânimos exaltados, para o bem e para o mal. Poderemos novamente nos opor aos gastos públicos feitos para o evento, enfrentando truculência à nossa forma visceral e emotiva de protestar. No dia das eleições librianas no Brasil podemos lidar com injustiças e desequilíbrios pela disputa do poder. Tempo em que sentiremos coletivamente que estamos ainda muito distantes de eleger aqueles que de fato nos representam. Uma mensagem de Plutão, deus da transformação, atualmente sobre Capricórnio, signo que representa o estado. Caso haja eleições escorpianas ou segundo turno, haverá a possibilidade de uma grande decepção como se tomássemos consciência de que ainda temos muitos karmas a encarar. Para Brasília, capital onde ecoam todas as reclamações e tormentas do país inteiro haverá ainda seu desafio particular e intransferível. Com Saturno na casa 10 poderemos estar concentrados em acabar com a sordidez que permeia a vida pública.  No céu candango, Urano em conjunção com Vênus em Áries nos deixará apaixonadamente defensores do que consideramos justo. No entanto, Netuno em conjunção com a Lua em Peixes nos dividirá entre os que sabem que estão próximos da evolução e aqueles que preferem a fuga ao bom combate. Um eterno dilema local entre o encontrar-se de vez ou o perder-se para sempre. No mais, a bela retrô continuará trabalhadora, excêntrica, antenada, mística, poderosa, musical e cinematográfica como de costume. Em caso de dúvida, inquietação ou graça concedida pelos deuses continuaremos a olhar para seu altar, nosso tão incrível céu, durante pores do sol cheios de cor, em busca de respostas e agradecimentos. 
Aline Maccari
*Os posts são publicados diariamente no site da Astróloga e no Facebook. Se você gostou compartilhe sem se esquecer de preservar fotos e vídeos propositalmente relacionados ao conteúdo, além de citar a fonte: A Astróloga.com.br

Nenhum comentário :

Postar um comentário