quinta-feira, 26 de julho de 2018

Uma breve análise do mapa de Carl Jung

Hoje se comemora o aniversário de nascimento de Carl Gustav Jung, o pai da Psicologia Analítica , também conhecida por Psicologia Arquetípica ou Profunda. Os termos "arquétipo", "complexo", "inconsciente coletivo", "sincronicidade", "animus e anima", "individuação", "persona", "luz e sombra" e "self"  foram cunhados por ele ou ganharam novo significado a partir de seus estudos.
É ele quem entende que o comportamento humano tem quatro funções cognitivas principais: sensação, pensamento, sentimento e intuição, muito similares aos quatro elementos da Astrologia. Para ele a mandala astrológica é uma projeção macrocósmica da uma realidade íntima microcósmica, a psique humana. Em vários momentos ele chegou a encomendar mapas astrais para entender mais a fundo seus pacientes. Quanto à mitologia, Jung mergulhou profundamente na riqueza narrativa e imagética arcaica do mundo. Era ele quem dizia que nascemos e morremos pelos mitos que nos representam. Nos últimos 35 anos de vida se dedicou-se ao estudo da Alquimia, como uma analogia do processo de evolução da alma, a transformação do "chumbo" em "ouro", metáfora da transmutação do nós mesmos no nosso melhor, a transcendência. Foi chamado de místico pela comunidade da época por pesquisar ainda outros oráculos como o tarot e o I Ching. Estudou também religiões comparadas, filosofia, política, arte, tornando-se um homem absolutamente culto, conhecedor dos mundos de dentro e de fora, do individual e do coletivo. A vida e obra do psicólogo suíço é de uma vastidão, de uma riqueza e de uma complexidade tão grandes que essas poucas palavras só servem para situar os leigos quanto à envergadura de sua obra. 


Uma breve análise do mapa do mestre


Com SOL em LEÃO (o Eu) e ASCENDENTE em AQUÁRIO (o coletivo) ele conseguiu transformar as próprias experiências pessoais e profissionais num legado universal incomparável. A força da personalidade, o brilho solar (Leão), aliados à inteligência e os sentimentos de fraternidade e liberdade são das caraterísticas mais marcantes.  Com o novo (URANO, regente do ASC na casa 7) e o velho (SATURNO na casa 1) em oposição, ele travou uma batalha, mais precisamente entre o conhecimento arcaico da humanidade e uma técnica nova, moderna, passível de ser aplicada (AQUÁRIO), diante da comunidade científica. Uma grande transgressão para a época e o meio. O mesmo aspecto em quadratura com PLUTÃO fala de sua fixação pela desconstrução do pai, que era pastor protestante, responsável por grande parte do seu backgrownd espiritual e intelectual. Jung sempre achou que o pai, muito fechado, não havia feito a real conexão com o divino e que os dogmas o impediam. Com LUA e PLUTÃO em conjunção no signo de TOURO, ele foi profundamente estável quanto às suas emoções e propósitos, provavelmente uma lição aprendida com a mãe (Lua), que era frágil, porém mais aberta a outras experiências espirituais. VÊNUS e MERCÚRIO em CÂNCER na casa 6, nos fala do trabalho com a memória, a fantasia, imagens antigas, o passado, envolto a lembranças, sentimentos profundos e o cuidado com o outro. VÊNUS em conjunção com MERCÚRIO na 6 também fala de sua habilidade com a escrita e com a escuta atenta aos sentimentos alheios, além do trabalho com os sonhos (imagens inconscientes), e a arte, principalmente nas mandalas. MARTE na casa 11 em SAGITÁRIO fala de sua ação, cheia de fé e entusiasmo, para a concretização dos assuntos do coletivo (casa 11). JÚPITER, regente da vida pública (casa 10) na casa 8 em LIBRA, lhe confere fé no insondável e capacidade de transitar entre o "mundo dos mortos" (casa 8, também dos mistérios e do ocultismo), entre o consciente e o inconsciente e descobrir as leis (Júpiter) que o governam. O MEIO DO CÉU em SAGITÁRIO fala de sua vocação pública para mestre, xamã, profissional reconhecido.  ESCORPIÃO na casa 9, NETUNO na casa 2, LUA e PLUTÃO na casa 3 reforçam o estudo, o trabalho e a produção literária a respeito dos assuntos da psicologia e da alma. Jung desvendou e se tornou mestre de sua pior quadratura (Saturno-Urano-Plutão-Lua). E se não será esse o segredo de um mapa pleno, vivido em sua integridade? Indo fundo para desvendarmos nossos aspectos mais desafiadores e sombrios, trazendo-os à consciência e integrando-os à personalidade.

O eclipse de amanhã trata do mesmo eixo astrológico: Leão e Aquário. Que o caminho de vida escolhido por esse grande mestre sirva de exemplo para vislumbrarmos a magnitude das possibilidades de realização que temos pela frente. E que compreendamos que tudo, absolutamente tudo o que fazemos, só faz sentido se compartilharmos com algo maior que nós mesmos, o mundo!
Aline Maccari

O mapa do psicólogo Carl Jung faz parte do banco de mapas do site Astro.com


_____________________

Assim na Terra como no Céu! A astrologia faz todo o sentido por que microcosmos e macrocosmos tem uma relação íntima entre si. O que acontece entre os astros, repercute simbolicamente em nossas vidas, todos os dias. Essa "psicologia antiga" é uma ferramenta e tanto, funcionando como uma bússola que nos orienta na nossa jornada. Para entender melhor a si mesmo e descobrir qual a melhor direção a tomar, entre em contato com A Astróloga pelo e-mail aastrologa@gmail.com  

* Os posts são publicados diariamente no blog "A Astróloga", no Facebook e no Instagram. Compartilhe com os amigos sem se esquecer de preservar fotos e vídeos propositalmente relacionados aos conteúdos, além de citar a fonte.
* Aline Maccari é jornalista, cronista e astróloga, com pós graduação em psicologia junguiana. Para saber mais sobre seu perfil visite o blog www.aastróloga.com.br

#astrologia #astrologa #astrologer #mitologia #psicologia #mistério #arquétipo #inconsciente #mapaastral #jung #signos #planetas #zodíaco #bemestar #xamã #terapeuta #terapia #coach #autoconhecimento #arquétipo #CarlJung #psicologiaanalítica #psicologiaarquetípica #inconscientecoletivos #animuseanima #self #sonhos #individuação #complexo



Nenhum comentário :

Postar um comentário