terça-feira, 27 de outubro de 2020

Mercúrio e Vênus em Libra: a hora do feminino

Diário da Astróloga: 27.10.20 | No céu e na Terra o FEMININO grita por atenção. UP THERE... Mercúrio e Vênus entram em Libra no dia de hoje. DOWN HERE... as mulheres se articulam o máximo que podem até que uma imagem fale mais que mil palavras e nos tome de força e impacto. E a foto que escolho na manhã de terça-feira para ilustrar este momento é a de uma mulher que protesta com os seios à mostra, plantada sobre o teto de um carro, carregando sinalizadores, durante manifestações recentes na Polônia contra os retrocessos da justiça em se tratando do direito ao aborto. 

Vários lugares do mundo, neste 2020 conservador e retrógrado, marcadamente com tantos planetas densos em Capricórnio, têm caminhado para trás a passos largos. Mas se em algum momento desfrutamos de direitos, não podemos abrir mão de conquistas garantidas, permitindo retrocessos. O céu vai continuar nos oprimindo, esta é uma das funções dos maléficos Plutão e Saturno no topo de nossas cabeças neste ano incrível. Mas vez por outra, a resistência irá transbordar e eis o gatilho! Com o planeta mensageiro, Mercúrio ainda que Retrógrado, em Libra de 27.10 a 10.11 e Vênus, a deusa que simboliza o feminino, também no próprio signo do feminino, em Libra de 27.10 a 21.11, os temas sobre a mulher ganharão potência, consciência, voz, palco e mídia. É como se o céu estivesse nos dizendo que agora, mais que noutros momentos, é tempo de não apenas falar do feminino, mas impedir esse massacre histórico pelos maléficos. De modo que outros episódios que já ganharam destaque nos últimos dias como as histórias de abusos cometidos pelos plutonianos Robinho ou Marcius Melhem, podem revelar ainda mais detalhes que até então desconhecíamos e gerar reações que até então não imaginávamos.

Para além dos assuntos do feminino que deverão ganhar grande destaque nas próximas semanas, nos quatro cantos do mundo, os temas arte e cultura, diplomacia e relacionamentos afetivos também entrarão em pauta. Para o feminino, nas mulheres e mesmo nos homens, com o que CARL JUNG chamou de ANIMA, a contraparte feminina nos homens, serão tempos de desafios, mas também de busca de sentidos e soluções. E grande parte disso tudo passa pelos homens se apaziguarem com suas contrapartes femininas, antes que esmaguem a todas nós! Os homens que não gostam das mulheres afrontam a vida. E estupidamente, não percebem que estão acabando consigo mesmos. 
O que ainda falta para os homens entenderem com quem estão lidando? Deixo uma pergunta. Adoraria ler respostas possíveis.
Aline Maccari Jornalista, Astróloga e Analista Junguiana
CRÉDITOS:  Mulher com sinalizador em protesto no centro de Varsóvia - Wojtek Radwanski/AFP


Diário da Astróloga: 27.10.20 | Mercúrio e Vênus entram em Libra. É hora de nos aprofundarmos nos temas do feminino! Aline Maccari Jornalista, Astróloga e Analista Junguiana
O link segue na BIO☝ e nos STORIES ☝

CRÉDITOS:  A Astróloga
#astrologia #astróloga #mapaastral #mitologia #psicologia #arquétipo #carljung #destino #autoconhecimento #céudasemana | #escorpião  #mercúrioretrógrado #mercúrioemlibra #vênusemlibra #conflito  #relacionamento  #revolução #espiritismo #feminino #feminismo #feminista #violênciadegênero #abusosexual #aborto #mulher #mulheres #sororidade #feminicídio #polônia #autoritarismo

* Agradecemos o compartilhamento dos conteúdos da "A Astróloga", desde que seja preservada a sua originalidade, integridade e sentindo, sem prejuízo à compreensão do mesmo e mantido o crédito à autora: Aline Maccari @aastrologa. A publicação parcial ou total de textos, vídeos ou fotos sem a creditagem correspondente pode acarretar em crime de plágio, sendo passível de punição. Obrigado àqueles que ajudam a divulgar adequadamente este trabalho.

Um comentário :

  1. Se não tivermos leis sólidas, que garantam a autonomia feminina, não temos chance...no entanto, se as próprias mulheres não educarem seus filhos para uma cultura do respeito e equidade de gêneros, nem nossas leis nos salvam! Entre todos nossos algozes, a mulher é a pior algoz dela mesma, que aponta e marginaliza a mulher que faz opções diferentes: não casou, não teve filhos, se divorciou...que triste!

    ResponderExcluir