terça-feira, 12 de janeiro de 2021

Desemprego, morte simbólica e identidade

Diário da Astróloga: 12.01.21 |  No céu destes dias, posicionamentos planetários que refletem cisões,  transformações e dificuldades. A Europa se prepara para novos confinamentos, devido ao aumento crescente de casos de Covid-19. Nos EUA e no Brasil o número de mortes oscila entre os mais altos nos últimos dias. Para além dos problemas sanitários, os países também enfrentam cada vez mais dificuldades econômicas. Por aqui, o Banco do Brasil começa o processo de desligamento de 5.000 funcionários com o fechamento de 112 agências. E a fábrica centenária de automóveis Ford fecha suas portas no país, demitindo mais de 6.000 funcionários. 

MERCÚRIO EM TENSÃO: NOTÍCIAS DIFÍCEIS
No céu, de 11 a 13.01, Mercúrio, o deus das notícias, em Aquário estará em aspecto tenso com Urano em Touro. E o resultado não poderia ser outro senão manchetes sobre desemprego em massa, logo no começo do ano. Ontem, com Mercúrio conjunto a Saturno tivemos o dia mais penoso. A sensação que pairava entre muitos nós era de melancolia e precariedade à vista. Mas hoje, Mercúrio conjunto a Júpiter pode nos ajudar a ver toda a situação com olhos um pouco mais esperançosos. E não que haja uma solução imediata para isso. Mas nada como uma noite de sono e uma mudança no céu para começarmos a vislumbrar outras saídas onde antes parecia haver apenas um muro. Com Mercúrio conjunto a Júpiter podemos contar não apenas a fé, mas também as leis. Portanto, se for precisar fazer uso de alguma regra ou legislação para ser amparado em situações duras como as mencionadas, use! 

MARTE + URANO EM TENSÃO COM SATURNO e JÚPITER
Como pano de fundo, o posicionamento mais radical que se vê é Marte próximo a Urano em Touro, em tensão com Saturno e Júpiter até 24.01. E a imagem que me vem à mente é a de um processo de castração frio, destituído de sentimentos, radical e cruel. O desemprego pode portanto ser um dos temas mais importantes de 2021. 


A IDENTIDADE PRESUMIDA
Sogyal Rinpoche em "O Livro Tibetano do Viver e do Morrer" aborda a morte, mas não apenas a física. Na vida, em vários momentos, passaremos por mudanças tão transformadoras que poderiam ser consideradas como verdadeiras mortes simbólicas. E perder o emprego, em vários momentos, pode se configurar como tal. Enfrentar esta realidade para a maioria de nós não é fácil, pois não apenas por uma questão de sustento ou mesmo de planos para o futuro, mas nossos egos se identificam com o lugar em que trabalhamos e a posição que ocupamos. E deixá-los é em parte morrer. O problema, segundo Rinpoche é que não estamos preparados nem para a vida, quanto mais para a morte. Num primeiro momento sentiremos o desemprego como um dos golpes mais duros da vida. Mas este sem dúvida é um momento também muito valioso para a psique em se tratando resignificação. E uma das passagens mais interessantes do livro, que pode ser adaptada para esta questão é o que ele chama de IDENTIDADE PRESUMIDA. Achamos que somos uma pessoa, atrelada a certos valores, quando na verdade somos muitos. O processo de "morte" do trabalho este ano deve nos transformar, não nos "matar". O que a vida pede de nós é mudança, não aniquilação. Estejamos prontos para refletir sobre este momento com a sabedoria de quem olha tudo de cima, imaginando o fim de uma identidade e o nascimento de outra! Somos muito maiores que nossos crachás!
*Vou falar mais sobre isso no vídeo de hoje no canal da "A Astróloga" no YouTube! Até já!
Aline Maccari Jornalista, Astróloga e Analista Junguiana
CRÉDITOS: A imagem que ilustra o texto de hoje é de uma fila de desempregados nos EUA no período da Grande Depressão. O autor é desconhecido até o momento desta publicação. Se você o identificar por favor nos notifique para que possamos creditá-lo adequadamente. Obrigada!


Diário da Astróloga: 12.01.21 | No céu, os desafios entre Mercúrio, Marte, Júpiter, Saturno e Urano avisam que é tempo de cisão, transformação e dificuldades. Uma onda astral que fica presente até o final do mês, mas que de maneira mais ampla marca todo o ano de 2021. Sob tal perspectiva, o DESEMPREGO se torna bastante presente. E como podemos entender isso? No vídeo de hoje começo a tratar sobre o assunto, levantando a hipótese da IDENTIDADE PRESUMIDA. Uma possibilidade de resignificarmos este momento de MORTE SIMBÓLICA. Aline Maccari Jornalista, Astróloga e Analista Junguiana
YOUTUBE👉 www.youtube.com/aastrologa  --
O link segue na BIO☝ e nos STORIES ☝  

CRÉDITOS: A Astróloga
#astrologia #astróloga #mapaastral #mitologia #psicologia #arquétipo #carljung #destino #autoconhecimento #céudasemana | #previsão2021 #perspectivas2021 #marteemtouro #coronavirus #economia #desemprego #fome #empréstimo #depressão #ford #bancodobrasil #desempregado #melancolia #grandedepressão #riscobrasil #falência #identidade #sogyalrinpoche #olivrotibetanodoviveredomorrer #mortesimbólica 

* Agradecemos o compartilhamento dos conteúdos da "A Astróloga", desde que seja preservada a sua originalidade, integridade e sentindo, sem prejuízo à compreensão do mesmo e mantido o crédito à autora: Aline Maccari @aastrologa. A publicação parcial ou total de textos, vídeos ou fotos sem a creditagem correspondente pode acarretar em crime de plágio, sendo passível de punição. Obrigado àqueles que ajudam a divulgar adequadamente este trabalho.

4 comentários :

  1. A leitura dos seus posts deveriam ser lidos todos os dias por todo o mundo.

    ResponderExcluir
  2. Parabéns pelo trabalho desenvolvido.

    ResponderExcluir
  3. Obrigada por compartilhar seu olhar do céu para o mundo.

    ResponderExcluir
  4. Nossa, Aline!!! Verdade...li nesta quarta seu texto e já ontem eu conversava aqui em casa que serão tempos difíceis e a reforma do lar que estava sendo programada para o fim de 2021 fica adiada para daqui, pelo menos, uns três anos...poupar para viver está como meta nesses tempos. Me tocou muito seu texto no que tange "A imagem presumida", pois realmente, ter que abandonar sonhos, expectativas é de longe, uma das coisas mais difíceis. Lidar com as derrotas do ego "matam" mais a alma que qualquer outra coisa, eu sei bem. Grata pelas colocações carinhosas como aborda as nuances humanas em seus textos. Gosto muito!
    Grata. Muita luz.

    ResponderExcluir