sexta-feira, 7 de maio de 2021

Covarde: tentando entender uma das semanas mais difíceis do ano

Diário da Astróloga: 07.05.21 | Quando eu era criança e um adulto chegava em casa com o jornal, eu logo pedia o Caderno de Cultura pra brincar de "ligue os pontos". Acho que a obsessão por buscar uma imagem que fizesse sentido ficou tão grande que transbordou em tudo o que eu faço. No jornalismo, no trabalho humanitário, na astrologia, na psicologia... eu ligo cré com lé como ninguém, diz minha mãe. Mas há dias em que quase nada faz sentido. E quando eu não consigo encontrar uma imagem que represente a situação, eu viro a psicopata do "ligue os pontos", até conseguir.

Convenhamos... essa semana foi brutal! Geralmente depois de uma Lua Cheia em Escorpião, como a que aconteceu na semana passada, abre-se uma porta infernal, difícil de fechar. No ano passado não foi diferente. Eu já imaginava um crescente em se tratando de mortes, objetivas e subjetivas, reais e simbólicas. Mas o pior tem respingado nesta Lua Minguante, a semana das despedidas e fechamento de ciclos. A morte de Paulo Gustavo tirou o chão todos nós. Muitos se perguntaram porque um cara incrível como ele precisava se despedir da vida neste momento? O ator é o avesso de tudo o que se projeta hoje do Brasil. Ele era a arte, a alegria, o riso, o improviso, a coragem, a vivacidade, a solidariedade verdadeira que mora dentro de cada brasileiro. Talvez por isso doa tanto e ainda mais. Porque o Brasil está no 2º subsolo do Hades e perder alguém dessa envergadura artística, humana e espiritual é um golpe coletivo baixíssimo. Desses de dobrar a esperança e guardá-la no bolso para não vê-la tão cedo.

Sincronicamente, as autoridades que precisavam ser ouvidas na CPI da Covid se omitem ou fogem às suas responsabilidades. Com Marte, o deus da guerra, no infantil e maternal signo de Câncer, não é difícil imaginar um General se escondendo debaixo da cama
O problema é que a diferença entre o mortais e os imortais neste país poucas vezes se fez tão grande. E cerca de 48h depois acontece a maior chacina do Rio de Janeiro, em meio à Pandemia, matando ao que se sabe até agora 25 vidas (ou mais) e deixando outras centenas completamente perturbadas com o grau de violência praticado. É como se tivéssemos dezenas de "George Floyds" sendo massacrados numa única ação policial. 

O céu desses dias me deixou inquieta, intrigada, insone. Não haviam planetas que justificassem essa violência tão explícita. Fiquei me perguntando como entender as inúmeras mortes desta semana histórica. E a única coisa que me veio à mente foram os planetas em signos que nos falam de falta de coragem. Me desculpem os signos de água, mas Lua em Peixes conjunta a Netuno e Marte em Câncer QUANDO EM MAL ASPECTO (por favor compreendam isso), são de uma covardia ímpar. E esta talvez tenha sido uma das semanas mais cruéis do ano. Mas, apesar da selvageria que representa todas estas pessoas serem arrancadas do nosso convívio como foram, acredito que devido à mesma configuração astrológica infelizmente nada será feito, pelo menos agora. Marte em Câncer ainda irá engolir muita dor, sofrer do estômago, evitar o conflito direto, tentar apaziguar e chorar baixinho. Entretanto, há uma data num futuro próximo! Por volta de 1º de Junho, quando Plutão em Capricórnio entrar em cena promovendo uma oposição pra lá de tensa com Marte em Câncer, algo pode virar. Eis uma data para se observar. Assim, imagino que ainda poderão ser 3 semanas de torpor, até que saiamos da nossa "passividade patológica", como costumo chamar. E então, algo possa seguir outra direção. Será? No meio disso ainda tem Eclipse, Mercúrio Retrógrado e Júpiter entrando em Peixes. Oh céus! Com a vida sempre em movimento, eis os pontos que agora consigo ligar. Carl Jung dizia: "O pêndulo da mente oscila entre o sentido e a falta de sentido, não entre o certo e o errado." Ainda acho que tudo isso irá nos mobilizar e não para o certo ou o errado, mas para o sentido.
Aline Maccari Jornalista, Astróloga e Analista Junguiana
CRÉDITOS: Banco de imagens




Diário da Astróloga: 07.05.21. Cá estou eu, estamos nós, tentando ligar os pontos pra trazer sentido para esta semana de notícias tão traumáticas, de morte e de covardia. Lá se vai Paulo Gustavo, a chacina no Rio de Janeiro, as crianças de Santa Catarina e um General se escondendo debaixo da cama. Oh Brasil! Oh céus! No mais... sem mais! Assista a este vídeo e se puder compartilhe!
Aline Maccari Jornalista, Astróloga e Analista Junguiana
O link segue na BIO☝ e nos STORIES ☝ 


CRÉDITOS: A Astróloga
#astrologia #astróloga #mapaastral #mitologia #psicologia #arquétipo #carljung #destino #autoconhecimento #céudasemana | #pandemiabrasil #CPI #luaminguante  #mercúrioretrógrado  #violência #massacre #chacina #favela #comunidade #jacarezinho #paulogustavo #covarde #covardia #medo #luaempeixes #marteemcâncer #direitoshumanos #georgefloyd #vidasnegrasimportam #vidasbrasileirasimportam 

* Agradecemos o compartilhamento dos conteúdos da "A Astróloga", desde que seja preservada a sua originalidade, integridade e sentindo, sem prejuízo à compreensão do mesmo e mantido o crédito à autora: Aline Maccari @aastrologa. A publicação parcial ou total de textos, vídeos ou fotos sem a creditagem correspondente pode acarretar em crime de plágio, sendo passível de punição. Obrigado àqueles que ajudam a divulgar adequadamente este trabalho.


2 comentários :

  1. Nunca imaginei na minha vida ver tanta coisa ruim.pra mim a morte do Paulo Gustavo foi como se tivesse ido tudo que o país precisa gente de bom coração de alegria e caráter somos órfãos disso no país. Tenho certeza q é isso que nos chocou a morte de uma pessoa tão especial. Estou de luto por todos q morreram.

    ResponderExcluir
  2. Em se tratando de câncer e peixes, o não confronto pode ser designado por outro nome: resiliência, resignação diante de um contexto paralisante, para evitar um desgaste maior. A água não é necessariamente covarde, a sua adaptabilidade pode ser um desdobramento de sabedoria. Infelizmente há grande exaltação da simbologia do fogo e do ar na tradição astrológica, os quais simbolizam, respectivamente, competição, guerra, destemor (fogo) e razão (ar), tão valorizados neste mundo bélico e ocidental. Me recuso a encarar a água como covarde, covardia é querer resolver tudo na base da truculência, do grito, tendo por alvo seres vulneráveis (muito comum por parte de áries, leão e aquário), até que alguém bata de frente e o(s) contenha.

    ResponderExcluir