segunda-feira, 19 de março de 2012

Urano no signo de Áries

O mundo nasce quando o Céu e a Terra se casam. Na mitologia grega, base para o entendimento do oráculo astrológico, Urano (Céu) e Gaia (Terra) se unem e dão origem ao mundo com seus 12 filhotes: os Titãns, as Titanesas, os Cíclopes e os Hecatônquiros (mostros com 50 cabeças e 100 braços). Esta “ninhada” representava as forças violentas da natureza como os terremotos e os vulcões, cataclismos que marcaram essa fase de nascimento do nosso planeta.

Estamos prestes a ver um novo mundo nascer. Urano acaba de entrar no primeiro dos signos, Áries, fazendo recomeçar um novo ciclo de 84 anos.
Mas para tentar entender esse novo começo precisamos conhecer Urano. Sob o signo do recomeço ele ficará cerca de 7 anos e sua entrada logo nos primeiros graus da constelação de Áries já é anunciada nos jornais.
Rebeliões e guerras, a derrubada de governos tiranos no mundo árabe, terremotos e tsunamis no Japão, novas tecnologias surgindo e se popularizando, a busca por novas fontes de energia, aguadeiros sem fim no sul do Brasil, ameaças de uma explosão nuclear, milhares de pessoas sem casa, recomeçando a vida do zero e assim promovendo mudanças de consciência coletivas.
O planeta Urano foi descoberto em 1781, pelo astrônomo britânico William Herschel. Data próxima a outras revoluções como a Industrial, a Francesa e a Independência dos Estados Unidos. Sua última passagem pelo lugar onde se encontra atualmente foi em 1927.
Urano ficou conhecido por detonar desastres naturais em nome da liberdade, igualdade, fraternidade, verdade e justiça, porém de forma chocante e assombrosa. O planeta atua em dois níveis, o externo a nós (na sociedade, no planeta Terra) e em nossas vidas pessoais. Dentro de nós ele sugere idéias novas e originais promovendo súbitas mudanças de padrão de vida e de nível psicológico. Urano, planeta regente do signo de Aquário é independente e se manifesta de forma rebelde, agressiva, violenta, revoltada, excêntrica e quebrando tradições. Pode ser o novo rompendo com padrões antiquados. Alguns autores defendem que sua violência se dá apenas quando a mudança consciente é difícil, quando há resistência em compreender um novo movimento da vida. Mas como normalmente somos muito avessos a mudanças não há como viver uma experiência uraniana sem ver violência ao redor. Urano é inimigo de qualquer tipo de prisão, repressão, submissão, suscitando sentimentos de muita inquietação. Conjunções, quadraturas ou oposições de Urano a pontos delicados do mapa trazem a estas áreas um sentimento de despertar, como um raio de iluminação, dentro e fora do sujeito, no seu sentimento perante a vida, no ambiente ao seu redor, com o mundo.
Depois dele nada será o mesmo. Sua passagem representa uma virada de página. Em muitas pessoas esses lampejos de libertação acontecem por meio de rompimento com velhos padrões familiares, com o fim do casamento, com a busca por uma nova carreira ou por um novo emprego.
É como se o espírito, reprimido por tantas regras e obrigações se sentisse pronto para encarar um novo modelo de vida, ainda que ele não tenha a menor idéia do que isso possa representar para ele. Antes de tudo, é um sinal de coragem para ir para onde ainda não sabemos. É como trocar o certo pelo duvidoso e pagando pra ver! Para os místicos Urano é a voz de Deus, é uma intuição poderosa, a liberação espiritual ou um rebelde divino. Ele é desprovido de materialismos, preconceitos e medos. É o gênio e também pode ser o louco. É um grande lampejo de consciência quando entendemos que a chegada dele nos permite entender as relações humanas não através do óbvio, mas das relações arquetípicas, como se finalmente enxergássemos por detrás do espelho e entendêssemos o que se passa do outro lado, o lado de lá, onde moram as respostas para nossas perguntas.

(No filme Comer, Rezar e Amar, a protagonista, com aproximadamente 42 anos, dá uma virada em sua história de vida e recomeça com novos referenciais de felicidade.)

Com Urano deixamos de enxergar a vida assim ou assado, mas assim e assado, diminuindo o dualismo e enriquecendo a percepção. A casa que recebe Urano no mapa natal mostra o tema da vida do sujeito que enfrentará mudanças. É neste assunto que a pessoa irá agir de forma súbita, libertária e original ou fora do comum. Neste momento, Urano encontra não só os arianos, mas a todos nós enquanto humanidade. E não só agora, mas quando completamos 21, 42, 63 e 84 anos de idade.

Aline Maccari

*Os posts são publicados diariamente no Blog da Astróloga, no Facebook e no Twitter. Se você gostou compartilhe sem se esquecer de preservar fotos e vídeos propositalmente relacionados ao conteúdo, além de citar a fonte: Aline Maccari.


Nenhum comentário :

Postar um comentário