segunda-feira, 2 de dezembro de 2019

Júpiter em Capricórnio

O "elefante na sala" é uma expressão que funciona em várias línguas. Significa algo desajeitado e comprimido em busca de adequação. Assim deverá ser Júpiter em Capricórnio. A instalação é do artista britânico Banksy. O elefante com motivos indianos pode representar a invasão de outras culturas na Europa e por tabela a avalanche de refugiados vindos de outras partes do mundo em busca de sobrevivência. Este também parece ser um desafio para o status quo de Capricórnio com Júpiter, o planeta do estrangeiro. Movimento válido de 02.12.19 a dezembro de 2020.
Um novo posicionamento planetário de grande importância começa hoje, 02.12.19. É a entrada de Júpiter, o gigante, no signo de Capricórnio. Em nível público e privado, consciente e inconscientemente ele irá afetar as nossas vidas em alguma medida. E sabendo sobre seus significados simbólicos podemos lidar da melhor maneira possível com esta mudança de cenário. O planeta que tem um ciclo ao redor do Sol de 12 anos, passa praticamente um ano inteiro em um dos signos do zodíaco. Desta forma, o ano de 2019 foi marcado por Júpiter em Sagitário, sua morada tradicional, uma vez que Júpiter é o planeta regente de Sagitário. No entanto, de dezembro de 2019 a dezembro de 2020 o planeta da expansão estará transitando por Capricórnio, o terceiro signo do elemento Terra.
Mas, antes de compreendermos que impactos isso poderá vir a ter em nossas vidas é importante conhecermos primeiro quem é Júpiter, quem é Capricórnio e como, num céu de possibilidades e desafios, isso pode nos afetar.

JÚPITER
Às vezes só em proporção conseguimos ter uma dimensão do tamanho monumental de Júpiter. Por isso, na antiguidade ele era conhecido como o grande benéfico, planeta da sorte e da expansão. No entanto, em Capricórnio ele está em "queda", ou seja, não está no seu melhor habitat!

Júpiter, de longe o maior planeta do Sistema Solar, é conhecido como o "grande benéfico", uma expressão que os antigos adoravam utilizar. Na mitologia grega ele era Zeus, o deus do Olimpo. É ele quem "salva" os titãs irmãos da tirania do pai Saturno e institui uma nova ordem no mundo, ficando ele como o "deus do céu", Netuno como deus dos mares e Plutão, deus dos infernos. Do alto do Monte Olimpo ele rege as leis divinas, sendo por isso o planeta dos magistrados, filósofos, sacerdotes, desbravadores, descobridores, escritores, mestres, professores, benfeitores, pessoas que alcançaram grande projeção em suas trajetórias. É o planeta que amplia nossa percepção a respeito da vida, é o astro da fé, da bondade, da justiça, da bem aventurança, de aventura pelo conhecimento e da sorte. Júpiter é o exagerado, excessivo, extravagante, sem limites, incansável e insaciável. O que não significa algo necessariamente bom ou mal. Esse tipo de julgamento não existe na mitologia grega. Sem falar que tudo tem dois lados, o luminoso e o sombrio. O que Júpiter toca se torna grande, farto, visível, abundante. Por isso é sinônimo de sucesso. No entanto, há certas coisas que não desejamos que cresçam, como o nosso peso na balança, uma doença ou uma mentira. Se em aspectos positivos com outros planetas, podemos vislumbrar um crescimento positivo. Se em aspectos desafiadores, principalmente com planetas maléficos (Saturno e Plutão) podemos imaginar um crescimento desordenado, inconveniente, desajeitado ou indesejado. Nessa hora, precisamos ter em mente de que a expansão seguirá inevitavelmente em todas as direções. Mas, tendo consciência disso, podemos quem sabe, em algum nível, dialogar com o "destino". Pois a partir do momento em que temos consciência das forças que nos movem, pois este é um movimento simbólico, podemos usar de nosso livre arbítrio.


CAPRICÓRNIO

Capricórnio é o último signo do elemento terra. Regido pelo planeta Saturno ele toma pra si detalhes importantes da história mitológica do deus que o rege. Capricórnio e Saturno tem muito em comum.  | A fonte desta imagem ainda não foi identificada. Se você a conhecer por favor comunique para que possamos creditá-la devidamente.
Cada signo se refere a uma época do ano. E o que acontece no Hemisfério Norte no tempo de sua regência diz muito sobre ele, pois assim foi "criado", "descoberto" ou "inventado" o sistema zodiacal. Capricórnio se refere ao começo do inverno, por isso ele é invernal. Daí sua relação com a frieza emocional, a escassez, o controle, a preocupação, o parco, ao mesmo tempo a sustentação, a formiga trabalhadora que se esforça para acumular, o conservador, o autoritário, o pragmático, o trabalhador e em vários momentos também o sujeito de sucesso, empreendedor, o que alcançou o topo da montanha gelada com seu esforço. Mais que a maioria dos signos, é Capricórnio quem sabe o significado das palavras dificuldade, restrição, limite e força de vontade.

O terceiro signo de terra do zodíaco é regido por Saturno, o deus do karma, o senhor do tempo. E como vivem abençoados pela mitologia do signo, os capricornianos também são como sinônimo de saturninos. Sérios, rígidos, ordeiros, prudentes, os capricornianos concentram em si algumas das qualidades que se espera ver numa pessoa adulta, madura ou mesmo de mais idade. São ambiciosos, responsáveis e geralmente são os que lideram grupos de trabalho ao sucesso. O bom senso nasceu com eles, a ambição também. Inspirados, podem se tornar grandes mestres, chefes justos, geralmente morais, disciplinados e realizadores. Ainda que em algumas situações seu anseio pelo sucesso possa ocultar um forte sentimento de baixa auto estima, tendo dificuldades em ultrapassar a narrativa de um passado doloroso. Se desconectados de uma vocação ética, podem se tornar materialistas, tiranos, especuladores, alpinistas sociais, frios e calculistas, invejosos, perdedores, sovinas, isolados, conservadores, medrosos, desconfiados, depressivos, melancólicos e ranzinzas. Em sociedade, Capricórnio representa as próprias estruturas de poder,  instituições financeiras, bancos, seguradoras, grandes corporações, países, nações inteiras, partidos políticos, sistemas de governo e o próprio status quo.


JÚPITER EM CAPRICÓRNIO

Na sala, o expansivo Júpiter terá que se ver com a tradição, as convenções, as regras, o autoritarismo, a cafonice, a velharia até o cheiro de naftalina. Se ele souber em que lugar está talvez possa aproveitar as melhores oportunidades. 

A morada tradicional de Júpiter é Sagitário e na antiguidade era Peixes. Nestes dois signos ele flui com tranquilidade, como se estivesse em casa, trazendo abundância naturalmente. No entanto, Júpiter é o deus da abundância e Saturno é o deus da restrição. E o que pode acontecer com Júpiter em Capricórnio, signo regido por Saturno? Bem... a impressão a primeira vista é a de um elefante na sala de estar, mal acomodado, sobrando, desajeitado, comprimido. É um sujeito imenso, expansivo e divertido tendo que se virar num lugar sério, apertado, cheio de regras,  etiquetas, tradições e limites. Pobre elefante!

Assim, podemos presenciar em 2020 um ano de crescimentos, sob algumas perspectivas e também desafios delicados. De maneira ampla, penso que o autoritarismo saturnino que tem se feito cada vez mais presente no mundo possa expandir em várias direções. Regras e novas leis que estão sendo feitas para trazer limites à sociedade estão se multiplicando a todo o vapor e tendem a ser ainda mais frequentes. Ao passo que chefes, diretores, magistrados e políticos podem passar impunes aos seus mandos e desmandos.

Poderá ser um tempo em que iremos nos preocupar com as coisas de ordem prática que poderemos fazer para tornarmos a vida mais bem estruturada. Como Capricórnio tem uma forte relação com a maturidade, a velhice e a segurança, negócios e ideias relacionadas ao tema podem expandir. Empresas de segurança patrimonial e física, tratamentos de longevidade, clínicas de congelamento de óvulos ou estéticas que garantam a beleza para além do tempo e empresas de previdência privada podem lucrar muito. Até o negócio com antiguidades, a própria arqueologia ou o turismo por lugares históricos podem se beneficiar deste posicionamento. Por outro lado valores clássicos, conservadores, retrógrados, cafonas, ultrapassados ou mesmo engessados poderão voltar. Nessa mesma lógica, figuras paternais e os idosos, que impõe ordens e regras, podem ganhar grande destaque, midiático inclusive. Nós sabemos que velhice não é sinal de sabedoria. Mas, quem sabe não é este um excelente momento para voltarmos a valorizar a experiência dos mais velhos em detrimento dos jovens, que tem se achado tão sabichões.

Como Júpiter tem forte relação com a fé, a espiritualidade e o sacerdócio é possível que experimentemos a volta de dogmas, religiões tradicionais e restrições de ordem ética. E até mesmo o retorno de práticas religiosas extremamente conservadoras. No entanto é preciso tomarmos cuidado para não admitirmos filosofias castradoras e punitivas que atentam contra a própria diversidade e liberdade humanas.
Diante de um panorama mais sério, a "zoeira infinita" da internet deve dar alguma trégua. As pessoas poderão sentir necessidade de informações de procedência, estudos científicos, concretos e estatísticos que provem e comprovem os fatos. Os mestres que tiverem lastro, experiência de fato, de professores a gurus, poderão ter o seu momento.

Lideranças mundiais também ganharão destaque se souberem inspirar as pessoas com o foco no trabalho, na razão, no empenho e na responsabilidade coletiva. "Para crescer talvez seja preciso cortar." Uma frase como essa é típica de Júpiter em Capricórnio. Mas, por outro lado, alguns líderes também poderão se mostrar verdadeiros tiranos. Entre o que inspira e que oprime há uma diferença que precisa ser percebida antes que elejamos déspotas para ocuparem postos importantes. Não nos esqueçamos que 2020 é ano de eleições no Brasil. Esta também poderá ser a temporada dos alpinistas sociais e a celebrização de alguns personagens saturninos. De modo geral será um ano em que o trabalho, a seriedade, o comprometimento, as regras e a tradição irão falar alto. Cobrança, critério e excelência poderão ser palavras do dia a dia. Até a estética, tão refinada em Capricórnio, poderá ser tomada ao nosso redor por escolhas mais sóbrias, escuras, sem brilho e sem erro, da arquitetura à moda. O rigor estético pode sim gerar bons lucros. Com Júpiter em Capricórnio há menos ousadia e mais apostas no que já é consagrado. 

Como Saturno, planeta regente de Capricórnio é o Senhor do Tempo, em Capricórnio há uma forte relação com o mérito que vem com os meses e anos. Por isso, também podemos levar mais tempo para alcançarmos os resultados e o prestígio que tanto sonhamos. O que não significa que seja impossível, mas que o sucesso pode chegar mais tarde, inclusive para pessoas mais velhas que acreditavam já ter perdido a chance de alcançar o topo da sua montanha pessoal ou profissional.

O CÉU DO PRIMEIRO DIA DE JÚPITER EM CAPRICÓRNIO

Às vezes a sorte vem travestida de azar. Quantas coisas ruins aconteceram na sua vida e num primeiro momento você achou que fosso o fim do mundo... e então tudo se mostrou incrivelmente benéfico depois!? Há males que vem para bem! Júpiter em Capricórnio é mais ou menos assim!

O ingresso de Júpiter em Capricórnio se dá em ótimo aspecto com Urano em Touro, o que evidencia a força que terão os trabalhos com criatividade, tecnologia, inovação, coletivos, trabalho humanitário, até questões agrárias (terra). É uma combinação curiosa, mas inovação com tradição pode sim ser uma aposta. O nome disso é releitura!
Os demais signos de Terra, como Touro e Virgem poderão se beneficiar durante todo o ano com tal aspecto. No entanto, Sagitário poderá passar por um período de encolhimento e opressão, como o elefante na sala de estar, vocês se lembram? Pois se para Sagitário "tudo pode", com seu planeta regente em Capricórnio, ele deverá aprender que nem tudo é possível e que limites são importantes para o seu próprio crescimento. Com os signos de Áries, Câncer e Libra, Júpiter em Capricórnio irá fazer aspecto tenso durante o ano, o que pode significar um certo descomedimento.

O lado mais inspirador da passagem de Júpiter por Capricórnio será sem dúvida a consagração para quem trabalhou com afinco, determinação, seriedade, competência e responsabilidade sem esmorecer, acreditando que o trabalho duro um dia terá sua recompensa. Para quem não se aplicou ainda pode haver tempo. Em 2020, para vencermos as adversidades, vamos precisar de disciplina, método, foco e objetivos muito bem determinados. Diante disso tudo, a pergunta mais importante é: "O que você quer alcançar?" Responda isso de maneira pragmática e aproveite "o inverno na sala da sua avó"! E no final das contas brindar com ela um chá de hibisco gelado, produzido pelo seu coletivo vegano, pode funcionar.
Aline Maccari
Jornalista . Astróloga . Analista Junguiana
*Aproveite para conhecer também o canal da A Astróloga no Youtube: www.youtube.com/aastrologa
**E se você acha que este texto também pode fazer sentido na vida de alguém, compartilhe! 
*** Em breve A Astróloga também irá lançar um textão sobre as Tendências para 2020. Acompanhe!



________________________

*Assim na Terra como no Céu! A astrologia faz todo o sentido por que microcosmos e macrocosmos tem uma relação íntima entre si. O que acontece entre os astros, repercute simbolicamente em nossas vidas, todos os dias. Essa "psicologia antiga" funciona como uma verdadeira bússola nos orientando na nossa jornada. Para entender melhor a si mesmo entre em contato com A Astróloga pelo e-mail aastrologa@gmail.com  
* Os posts são publicados no site "A Astróloga", no Facebook e no Instagram. Compartilhe preservando frases, fotos e vídeos propositalmente relacionados aos conteúdos, além de citar as fontes. 
* Aline Maccari é jornalista, astróloga e analista junguiana. Para saber mais visite o blog www.aastróloga.com.br

CRÉDITOS: Arte: A Astróloga

Nenhum comentário :

Postar um comentário