segunda-feira, 21 de setembro de 2015

Libra: a desesperada necessidade de sabermos nos relacionar

Marte e Vênus de Botticelli: Marte, o deus da guerra, foi um dos amantes favoritos da Vênus. Na cena renascentista ele aparece dormindo e desarmado enquanto a bela fica acordada. Esta é a imagem perfeita da união entre o amor e a guerra, os contrários, os opostos, motivo de algumas da mais incríveis histórias da literatura e do cinema. Marte dorme o sono que vem depois do sexo e nada o acorda, mesmo que os sátiros levem sua lança. Para Botticelli uma brincadeira que mostra o quanto a Vênus pode desarmar Marte. Uma realidade que nós também aguardamos ver quando a cruz se formar com o início da primavera.


Afrodite para os gregos, Vênus para os romanos é a bela entre as belas. A deusa foi retratada à exaustão desde sua "invenção". Escultores, pintores, poetas, trovadores, escritores e atores mostraram em diferentes culturas e épocas as qualidades desta mulher-astro, conhecida por ser a deusa da beleza, do amor e das artes. Na modernidade e na pós modernidade ela foi explorada até sua última madeixa dourada. Nas passarelas, programas de TV, revistas de moda, lá está ela, chegando a extremos, beirando a celebridade, posando em desnudas curvas. No entanto, há um aspecto da Vênus que ficou para trás, e não é de hoje. 


Nefertiti, a Afrodite do Egito Antigo foi a companheira perfeita de seu faraó, ajudando o a tomar decisões políticas inclusive.
Na antiguidade ela era mais que bela, amorosa ou artística, ela era principalmente relacional. E nessa qualidade muito específica é que ela era devidamente idolatrada. Afrodite ou Vênus é o planeta regente do signo de Libra que estréia no céu deste ano de 2015, nesta semana, mais precisamente no dia 23 de setembro, inaugurando a primavera. Com ela a natureza desabrocha e nós também, pois é á partir dela e de sua relação entre as pessoas, trocas de sentimentos, que o mundo interage, aprende a conviver e evolui. Para Carl Jung, pai da psicologia arquetípica a anima seria a parcela feminina que habita a psique do homem e animus o correspondente masculino que habita a psique das mulheres. O encontro com uma Afrodite, se falarmos em termos psíquicos, poderia ser, segundo ele, talvez a complementaridade perfeita para um homem em busca de completude. Não por acaso as belas tornaram-se musas, inspiração constante dos homens sensíveis, desejosos no fundo de um encontro pleno consigo mesmos. As mulheres que incorporam o arquétipo de Afrodite (e isso é muito comum em mulheres com aspectos importantes em Libra, como Sol, Ascendente, Lua e Vênus) geralmente refletem essa anima poderosa, sensual, feminina, livre para amar e criar; desertando a criatividade e a completude, ainda que nos planos inconscientes de seus companheiros. Quando a bela é idolatrada não o é apenas por que demonstra dotes perceptíveis a olho nu, mas por que de forma invisível ela também é capaz de despertar o amor, o eros, desde seu sentido carnal até o mais sublime. Como se sua aparência fosse uma demonstração da beleza que de fato carrega por dentro. 

Com a entrada do Sol em Libra talvez pudéssemos esperar por tempos de paz, diplomacia, ajustes nos relacionamentos e mais poesia. Mas, com o céu desafiador que vemos daqui de baixo será difícil esperar tanto da moça. Ela estará sendo desafiada o tempo todo pela quadratura sem fim de Plutão em Capricórnio e Urano em Áries. Ou seja, quando a cruz se formar novamente no céu o efeito pode ser contrário, como se todas as suas qualidades positivas estivessem sendo evocadas, no entanto como se estivessem guardadas e não pudessem ser usadas. Assim, os próximos dias serão mais desafiadores do que o que já vimos até agora. 
Mais amor e menos idealização. Quando um Sol em Libra é desafiado por quadraturas mais importante é a essência das coisas.

Na diplomacia, território relacional da Vênus, podemos nos mostrar um verdadeiro fracasso. No amor, território diplomático caseiro, os conflitos poderão ser proporcionalmente iguais. Mas, como agir de forma a não ser pego por um movimento tão duro, difícil? Estamos falando de amor e de repente o resultado é a guerra! Não saberia dizer se há saída para os próximos dias. Todo o mês libriano será um grande desafio para todos nós, envolvendo conflitos, sociedades e relacionamentos. É viver para ver mais um episódio do mundo de pernas para o ar. Pois quem manda na casa nos próximos dias não é bem ela, mas Plutão, deus do morrer e renascer. E não haverá bela que dê conta de um impulso tão forte.

Os posts são publicados diariamente no Blog da Astróloga, no Facebook e no Twitter. Se você gostou compartilhe sem se esquecer de preservar fotos e vídeos propositalmente relacionados ao conteúdo, além de citar a fonte: Aline Maccari.

Nenhum comentário :

Postar um comentário