quinta-feira, 31 de outubro de 2013

Halloween, Samhain e Plutão

Samhain é o festival que celebra o ano novo celta, a
chegada do inverno e os  mortos
O dia de hoje, 31 de outubro é uma data importante. Ela já era celebrada antes mesmo da era cristã, especialmente na Europa, pelas tribos celtas. A festa teria sua origem num ritual às forças da natureza, chamado Samhain (samh: verão, fuin: fim), a comemoração do ano novo celta, o começo do inverno no hemisfério norte. Essa data gelada era representada pela volta dos mortos as suas casas em busca de conforto, proteção, das guloseimas difíceis de desapegar desde o desencarne e o calorzinho da fogueira familiar. As partes matavam as saudades e trocavam as últimas notícias do além e da Terra. Uma noite em que a fronteira entre o mundo dos mortos e dos vivos se dissolvida em meio a uma noite escura, muito longa e de nevoeiros intermináveis. Para os sacerdotes druidas, da religião celta, o céu em que moravam os mortos era um lugar de paz e felicidade, sem fome ou miséria.
Uma ideia que pode ter inspirado os cristãos muitos séculos depois na construção do seu mundo celestial. Por volta do ano 600 a.c. os escoceses teriam se apropriado da mesma data para celebrar o Halloween. A palavra originalmente viria da expressão Hallow Evening ou Hello Evening (olá, bem vinda noite) uma referência à noite dos mortos, dos sacerdotes e portanto das bruxas, as sacerdotisas. Os romanos por sua vez, que se apropriaram do conhecimento e dos rituais gregos antigos, também celebravam seus deuses perto desta data.
O edifício destinado aos deuses pagãos antigos, o Panteão
romano, ainda pode ser visitado
O Panteão, edifício que pode ser visitado até os dias de hoje, que abrigava e saudava a todos os deuses foi transformado pelos católicos no século IV no templo de "Todos os Santos", uma outra apropriação da mitologia antiga. Assim, as datas de hoje, o  Halloween que antecede o Dia de Todos os Santos, dia 1° de novembro, e em seguida o Dia de Finados ou o Dia de los Muertos conhecido no México, dia 2 de novembro, são variações da mesma festividade de origem pagã. Com as ondas migratórias para o novo mundo, nos Estados Unidos muitas culturas se mesclaram e reinventaram a festividade que até hoje é comemorada por lá, atualmente celebrada de forma desapegada de seu significado original. Os disfarces de monstros, fantasmas e abóboras provavelmente tem sua origem entre os séculos XIV e XV, durante a Peste Negra que dizimou um terço da Europa, criando nos católicos um pavor pela morte. Como as missas se proliferaram por todo o continente nasceram muitas representações que pudessem exorcizar "o mal". Na astrologia os meses de outubro e novembro (23/10 a 21/11) são "abençoados" por Plutão, deus da morte e dos submundos, regente do signo de Escorpião. Todo o escorpiano que se preze sabe bem do poder e da responsabilidade de nascer nesta data.
Abóboras: carrancas medievais para afastar os espíritos do mal
Muitos tem um forte chamado para os assuntos de morte, são variadas as experiências de fim de ciclo e reinvenções de si mesmos. Muitos se quiserem podem se tornar sacerdotes, astrólogos, terapeutas ou psicólogos, os xamãs da pós modernidade. Eu conheço uma doula com Plutão no meio do céu. Em sua profissão ela é o canal entre os mundos, celebrando chegadas invés de partidas. E um psicólogo com Plutão em conjunção com a Lua capaz de descobrir as fraquezas e fortalezas dos outros mesmo antes de soltarem a primeira palavra no consultório.
Na cultura pop MJ é o Plutão poderoso que transita entre os mundos
Na minha família Dia de Finados era dia de festa, era aniversário da Tia Zélia. A mais escorpiana de todas as filhas de Dona Genoveva celebrava a família inteira, com a casa cheia de guloseimas irresistíveis, muita conversa boa, pão de queijo quentinho, cafézinho fresco, enquanto chovia lá fora. Seu velório no mês passado foi uma despedida suave. Tomada de amigos ao seu redor ela recebeu o último adeus de gente que a amava por ter sido absolutamente real, humana, capaz de receber qualquer pessoa em seu ninho, sem preconceito algum. Uma escorpiana se foi e outras duas chegaram, são as pequenas Kira e Marina, minhas primas-sobrinhas, as novas sacerdotisas da família. No dia de Halloween deveríamos festejar quem foi e quem fica. Assim são os ciclos da vida.
Aline Maccaari

O poder de Plutão: celebrar os mortos tornou Michael Jackson um dos músicos mais ricos do mundo por vários anos seguidos.
*Os posts são publicados diariamente no site da Astróloga e no Facebook. Se você gostou compartilhe sem se esquecer de preservar fotos e vídeos propositalmente relacionados ao conteúdo, além de citar a fonte: A Astróloga.com.br